Publicado 08 de Outubro de 2020 - 17h14

Por AFP

Treze homens, incluindo membros de uma milícia nos Estados Unidos, foram acusados de planejar o sequestro da governadora democrata do Michigan, Gretchen Whitmer, uma opositora ferrenha do presidente Donald Trump, segundo documentos judiciais publicados nesta quinta-feira (8).

Os homens, que foram presos, planejaram sequestrar Whitmer antes das eleições presidenciais de 3 de novembro e depois julgá-la por "traição", segundo a investigação da Polícia Federal no início do ano.

Em meados de março, Gretchen promulgou algumas das restrições mais rígidas do país para conter a pandemia de coronavírus em seu estado do norte do país, um dos mais afetados pela covid-19.

Os milicianos chamaram a governadora de "tirana" e consideraram vários cenários para sequestrá-la.

Em Lansing, capital do estado, em sua casa e na casa de férias no norte de Michigan. Para colocar seu plano em prática, os conspiradores tentaram comprar explosivos, segundo um agente disfarçado do FBI.

Trump critica frequentemente Whitmer por sua gestão da pandemia. Várias centenas de opositores ao confinamento, alguns fortemente armados, se manifestaram várias vezes em Lansing pedindo a reabertura da economia local.

No final de abril, manifestantes armados chegaram a entrar no Capitólio de Michigan para exigir uma flexibilização das medidas de saúde.

cyj/dax/yo/lda/aa/mvv

Escrito por:

AFP