Publicado 08 de Outubro de 2020 - 14h34

Por AFP

A praia de Varosha no Chipe foi parcialmente reaberta nesta quinta-feira (8), 46 anos depois da invasão turca e da fuga de seus residentes greco-cipriotas, uma medida que gerou polêmica antes das eleições turco-cipriotas.

Apelidada nos anos 70 como o "Saint Tropez cipriota" por sua água cristalina e suas noites de festa, Varosha é um dos símbolos da divisão do Chipre.

Chipre está dividido desde a invasão do terço norte da ilha por parte do Exército turco em 1974 após um golpe de Estado que tentava anexar o país à Grécia.

Centenas de pessoas entraram em Varosha nesta quinta-feira sob controle policial, perto da cidade portuária de Famagusta, enquanto soldados turcos limpavam a área, informaram jornalistas da AFP no local.

Vários visitantes, entre eles turistas estrangeiros, filmaram com seus celulares todos os detalhes de uma paisagem em ruínas, alguns deles posando em frente a prédios abandonados desde 1974.

A reabertura de Varosha, controlada pelos militares turcos, foi anunciada na terça-feira em Ancara pelo presidente Recep Tayyip Erdogan e pelo "Primeiro-Ministro" da autoproclamada República Turca do Norte do Chipre (RTNC), Ersin Tatar.

O anúncio foi feito alguns dias antes das eleições nesta parte da ilha, cujas autoridades não são reconhecidas pela ONU.

Tatar, próximo de Ancara, se apresenta nesta eleição contra o atual presidente da RTNC, Mustafa Akinci, favorito nas pesquisas e opositor de Erdogan.

bur-feb/bfi/lp/mb/aa

Escrito por:

AFP