Publicado 08 de Outubro de 2020 - 7h13

Por AFP

O Parlamento Europeu aprovou formalmente nesta quinta-feira sua nova estratégia climática, que prevê uma ambiciosa meta de reduzir em até 60% as emissões de gases que provocam o efeito estufa até 2030.

O objetivo de redução de 60% é a ainda mais ambicioso do que havia sido anunciado em setembro pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, que mencionou 55%.

A estratégia foi estabelecida na quarta-feira à noite no Parlamento Europeu, durante a votação de emendas. Nesta quinta-feira, o texto definitivo foi aprovado por 392 votos a favor, 161 contrários e 142 abstenções.

O social-democrata Frans Timmermans, coordenador do chamado "Acordo Verde" na Comissão Europeia, comemorou no Twitter a aprovação do documento.

"Com seu voto sobre a lei climática, o Parlamento Europeu envia uma mensagem forte sobre a necessidade de ser ambicioso na resolução da crise climática", escreveu.

"A nova legislação pretende consagrar em um marco vinculante a promessa política de alcançar a neutralidade climática na Europa até 2050", destacou o Parlamento Europeu em um comunicado.

A nova legislação será objeto de negociação entre o Parlamento Europeu e os países membros, que ainda não se comprometeram com uma posição comum. A Polônia, altamente dependente do carvão, é contrária a metas climáticas mais ousadas.

Em 16 de setembro, Von der Leyen propôs que a meta europeia de redução de emissões de CO2 deveria aumentar de 40% a pelo menos 55%, um objetivo que considerou "ambicioso mas factível".

aro/ahg/es/fp

Escrito por:

AFP