Publicado 08 de Outubro de 2020 - 0h53

Por AFP

Os candidatos à vice-presidência americana, o republicano Mike Pence e a democrata Kamala Harris, discordaram nesta quarta-feira sobre a gestão da pandemia em seu primeiro e único debate, em um encontro que ganhou mais relevância após a infecção do presidente Donald Trump pelo novo coronavírus.

"O povo americano foi testemunha do maior fracasso de qualquer administração presidencial na história de nosso país", afirmou duramente a senadora democrata.

A doença do presidente, de 74 anos, somada às preocupações sobre o estado físico e a idade de seu rival, Joe Biden, três anos mais velho, aumentou o interesse pelo debate entre os vices, que aconteceu em Salt Lake City, Utah.

A menos de um mês das eleições de 3 de novembro, a infecção de Trump colocou a pandemia entre os temas principais do debate, em um momento em que a covid-19 é responsável pela morte de mais de 210.000 pessoas nos Estados Unidos.

O tema colocou Pence -que encabeça desde fevereiro o grupo responsável pelo combate à covid-19- em uma posição incômoda, já que, além do avanço da pandemia pelo país, a administração Trump enfrenta um surto da doença dentro da Casa Branca.

Pence, de 61 anos, acusou os democratas de "plagiar" seu plano de luta contra o novo coronavírus. Em seguida, acusou Harris de "minar a confiança" dos americanos na possível descoberta de uma vacina durante o mandato de Trump.

"Pare de brincar de política com a vida das pessoas", pediu Pence, vestido com a tradicional gravata vermelha dos republicanos.

Harris, uma ex-procuradora de 55 anos habituada a fazer perguntas inquisitivas, acusou Trump de "sacrificar" os trabalhadores da saúde.

A senadora da Califórnia, de pai jamaicano e mãe indiana, poderá se tornar a primeira mulher a ocupar a vice-presidência dos Estados Unidos em caso de vitória de Biden nas eleições de novembro.

A grave crise econômica induzida pela pandemia também foi tema do debate. A recessão pulverizou o mercado de trabalho e aumentou o desemprego, acabando com um dos melhores argumentos a favor da gestão Trump: uma taxa de desemprego que chegou ao nível mínimo de 3,5%, mas que agora está em 7,9%.

"Há estimativas de que até o final deste governo haverá mais perdas de empregos do que em qualquer outro governo", disse Harris, que participou do debate vestida de preto e com um discreto colar de pérolas.

Pence rebateu duramente Harris: "A senadora tem direito a sua opinião, mas não a seus próprios fatos". O atual vice-presidente também reforçou o temor de um aumento dos impostos, de mais regulamentações, da proibição da extração de petróleo e do fim da indústria da energia fóssil caso Biden seja eleito.

Pence, um cristão evangélico tradicional que costuma zelar por um perfil discreto, foi ao debate com a intenção de defender arduamente o governo Trump.

Trump voltou à Casa Branca na segunda-feira após três dias hospitalizado devido à covid-19. Segundo o médico presidencial, o mandatário está sem sintomas e não tem febre há quatro dias.

Nesta quarta-feira, ignorando os alertas sobre os riscos de contágios, Trump foi trabalhar no Salão Oval e afirmou sentir-se "perfeitamente bem".

O comportamento de Trump é especialmente criticado pelos democratas. Quando estava hospitalizado, o presidente foi saudar seus seguidores e, ao voltar à Casa Branca, retirou a máscara.

Escrito por:

AFP