Publicado 07 de Outubro de 2020 - 22h04

Por AFP

O presidente Jair Bolsonaro, eleito com um programa de luta contra a corrupção, afirmou nesta quarta-feira que "acabou" com a operação Lava Jato, "porque não há mais corrupção no governo".

"É um orgulho, uma satisfação, dizer a essa imprensa maravilhosa que eu não quero acabar com a Lava Jato. Eu acabei com a Lava Jato, porque não há mais corrupção no governo", afirmou o presidente, ironizando críticas recentes ao seu distanciamento de um de seus pilares iniciais.

As palavras de Bolsonaro foram celebradas com risos e aplausos por dezenas de executivos e funcionários que participaram em Brasília de um ato de anúncio de medidas de apoio à aviação civil.

O presidente enfrenta críticas de muitos aliados em um primeiro momento por ter designado a uma vaga no Supremo o juiz Kassio Nunes Marques, que conta com o beneplácito de partidos tradicionais identificados com grandes escândalos de corrupção.

Ao assumir o cargo, em janeiro de 2019, Bolsonaro nomeou como ministro da Justiça o juiz Sérgio Moro, figura emblemática da Lava Jato. Mas a lua de mel durou pouco e Moro renunciou ao cargo em abril passado, denunciando tentativas de Bolsonaro de interferir em investigações da Polícia Federal.

Bolsonaro se viu na defensiva nos últimos meses, devido a investigações sobre seu filho e senador Flávio Bolsonaro por um suposto esquema de desvio de dinheiro em seu gabinete quando era deputado estadual pelo Rio de Janeiro.

No mês passado, a Procuradoria-Geral da República prorrogou, mas apenas até 21 de janeiro de 2021, a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba.

js/mls/lb

Escrito por:

AFP