Publicado 07 de Outubro de 2020 - 22h03

Por AFP

Um enfraquecido furacão Delta se afastou da costa mexicana nesta quarta-feira (7), após provocar fortes ventos e danos materiais, embora possa se fortalecer novamente no trajeto rumo aos Estados Unidos.

Fortes rajadas de vento, ruas inundadas, árvores e postes caídos ficaram no rastro do furacão na cidade de Cancún, após atingir, nesta quarta-feira, a costa caribenha mexicana, sem deixar vítimas.

Grande parte de Cancún e dos balneários vizinhos de Playa del Carmen e Cozumel permaneciam sem energia elétrica.

"O Delta se enfraqueceu à categoria 1 na escala Saffir-Simpson", anunciou a Comissão Nacional de Água do México.

O furacão atingiu, de madrugada, a península de Yucatán, rebaixado à categoria dois. Antes, havia alcançado a categoria quatro.

Com ventos máximos de 140 km/h e rajadas de 165 km/h, o Delta viaja a 28 km/h com destino aos Estados Unidos.

"Espera-se que o Delta cresça em tamanho" à medida que se aproxime das costas norte do Golfo do México, explicou em seu mais recente relatório o Centro Nacional de Furacões (NHC), com sede em Miami.

O NHC alertou que "é provável" que ventos com força de furacão sejam flagrados a partir desta sexta-feira em algumas áreas da consta da Luisiana, no sul dos Estados Unidos.

No México, a tempestade provocou desastres em ruas e instalações elétricas, mas não houve vítimas.

"Não temos notificação de nenhuma morte", informou mais cedo Luis Alberto Ortega, coordenador da Defesa Civil do México.

Pela manhã, o vento sacudia árvores, muitas das quais acabaram no chão, assim como postes, fiação elétrica, placas de trânsito e outdoors. "O furacão chegou com força", disse o segurança de um estacionamento. A intensidade dos ventos diminuía esta tarde, e eles eram acompanhados de uma leve chuva intermitente.

Militares e funcionários da Defesa Civil recolhiam troncos de árvores e outros destroços. A população ajudava a desbloquear vias. No total, foram mobilizados 6,5 mil militares em Yucatán e Quintana Roo para auxiliar as comunidades afetadas. Além destas regiões, as chuvas se estendiam aos estados vizinhos de Campeche e Tabasco, segundo autoridades.

Cerca de 41.000 turistas foram evacuados de seus hotéis na terça-feira para refúgios nos balneários de Cancún, Puerto Morelos e Isla Mujeres, segundo Roberto Cintrón, presidente da associação hoteleira local. Destes, 85% são mexicanos e o restante estrangeiros, principalmente americanos.

"Estávamos com 35% de nossa capacidade. Para prevenir o contágio da covid-19, nos refúgios foram tomadas as mesmas medidas que nos hotéis, como uso de álcool em gel e máscaras", acrescentou Cintrón.

Escrito por:

AFP