Publicado 07 de Outubro de 2020 - 10h34

Por AFP

A senadora democrata Kamala Harris estará sob os holofotes no debate desta quarta-feira (7) com o vice-presidente Mike Pence, uma oportunidade para expressar seus argumentos contra mais quatro anos de Donald Trump na Casa Branca.

Harris, de 55 anos, primeira mulher negra a integrar uma chapa presidencial de um dos grandes partidos nos Estados Unidos, é uma companheira jovem e dinâmica para o candidato democrata Joe Biden, de 77 anos.

No debate, ela tentará usar as habilidades como ex-procuradora-geral da Califórnia para argumentar um caso "aberto e encerrado" contra Trump e Pence, como descreveu em agosto ao aceitar a indicação para a vice-presidência, utilizando um termo legal em referência a um caso com grandes chances de vitória.

Harris chamou a atenção nacional em 2019 durante um debate das primárias democratas com ataques veementes contra... Joe Biden.

Diante de um auditório e de um rival surpreso, ela criticou o histórico racial do ex-senador e sua oposição, nos anos 1970, aos programas para acabar com a segregação no transporte escolar. Ao contar como, quando menina, viajava em um dos ônibus que transportava estudantes negros para bairros brancos, ela provocou uma comoção e subiu nas pesquisas.

Foi um momento decisivo que revelou a confiança, a coragem e o carisma de uma estrela política em ascensão, que enfrentará o vice-presidente de Trump no debate de Salt Lake City.

Pence estará em alerta máximo. O debate ganhou importância, depois que Trump foi diagnosticado com o novo coronavírus e no momento em que a chapa republicana está em grande desvantagem nas pesquisas.

"Ele é um bom debatedor", disse Harris aos jornalistas no mês passado.

"Então, estou muito preocupada, como se eu só pudesse decepcionar", acrescentou com uma risada.

Filha de imigrantes da Jamaica e da Índia, Kamala Harris é uma pioneira política desde o início da carreira.

Ela recorda que a mãe gostava de afirmar: "Você pode ser a primeira a fazer muitas coisas, mas garanta que não será a última".

Harris foi a primeira procuradora-geral negra da Califórnia e a primeira mulher a ocupar o posto. E foi a primeira mulher de ascendência indiana a chegar ao Senado.

Agora almeja ser a primeira vice-presidente.

E, como muitos acreditam que Biden seria um presidente de apenas um mandato em caso de vitória, Kamala Harris ficaria em ótima posição para obter a indicação democrata para 2024 e tentar virar a primeira mulher no comando da Casa Branca.

Desde que abandonou a disputa pela candidatura do partido em dezembro para apoiar Biden, ela intensificou as críticas a Trump em vários temas: do estímulo às tensões raciais à demonização dos imigrantes, passando por sua gestão da pandemia da covid-19.

"Há uma razão, pela qual [a covid-19] atingiu a América de maneira pior do que qualquer outra nação desenvolvida", disse Harris em seu discurso de aceitação da candidatura em agosto. "É por causa do fracasso de Trump em levar [a pandemia] a sério desde o início", criticou.

Escrito por:

AFP