Publicado 06 de Outubro de 2020 - 14h33

Por AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, atacou nesta terça-feira (6) seu rival democrata Joe Biden por dizer que tentaria legalizar o aborto se a Suprema Corte dos Estados Unidos anular a sentença do emblemático caso Roe versus Wade.

Em uma conversa televisionada com eleitores, Biden disse na segunda-feira que procuraria consagrar em lei essa sentença da Corte de 1973, que admitiu o direito à interrupção da gravidez.

"Uau. Joe Biden assumiu uma postura mais liberal que a de Elizabeth Warren sobre Roe versus Wade", disse em alusão à senadora liberal que buscou a candidatura democrata para a presidência este ano.

Biden "também quer ENVOLVER nossa grande Suprema Corte dos Estados Unidos. Isso é o que os democratas fazem", acrescentou.

"SAIAM E VOTEM!", disse a 28 dias da eleição na qual busca um segundo mandato e que está atrás de Biden nas pesquisas.

O aborto é há décadas um dos assuntos mais polêmicos nos Estados Unidos e tornou-se um assunto de referência após a morte no mês passado da juíza liberal da Suprema Corte, Ruth Bader Ginsburg.

Os democratas temem que a indicada por Trump para preencher a vaga de Ginsburg, a juíza conservadora Amy Coney Barret, garanta à Corte de nove membros a maioria suficiente para anular a sentença do caso Roe.

Em seu ato televisionado na segunda-feira, Biden foi questionado por uma mulher sobre o que faria se Barret entrasse na Corte e ajudasse a eliminar direitos reprodutivos femininos.

"Não sabemos exatamente o que fará, embora a expectativa é que poderia fazer algo para anular Roe", respondeu Biden.

"A única resposta responsável para isso seria aprovar uma legislação que transforme Roe em lei. Isso é o que eu faria", acrescentou brevemente.

Biden, um católico de 77 anos, se opõe pessoalmente ao aborto. No entanto, em junho de 2019 reverteu sua rejeição ao financiamento federal de abortos quando tentava acalmar as críticas que recebeu da ala mais esquerdista de seu partido.

mlm/bgs/gm/lda/aa

Escrito por:

AFP