Publicado 06 de Outubro de 2020 - 14h03

Por AFP

A Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) anunciou, nesta terça-feira (6), ter encontrado uma substância do tipo Novichok no organismo do opositor russo Alexei Navalny.

O ativista foi hospitalizado em estado muito grave, em Berlim, por causa de um envenenamento, segundo fontes alemãs.

A OPAQ declarou que as amostras de sangue e urina de Navalny continham um "inibidor da colinesterase" similar ao das substâncias químicas do tipo Novichok, proibidas pela organização em 2019.

Essa confirmação apoia as descobertas de laboratórios na Alemanha, França e Suécia.

"Esses resultados são muito preocupantes", disse o chefe da OPAQ, Fernando Arias.

A Alemanha havia solicitado oficialmente "assistência técnica" à organização, como todos os membros da OPAQ têm direito quando acreditam que estão enfrentando um incidente envolvendo o uso de armas químicas.

Arias declarou que "o importante agora" é renovar a luta para que as armas químicas não sejam utilizadas, como prometeu a comunidade internacional há mais de 25 anos, quando foi aprovada a Convenção da ONU sobre o assunto.

Os resultados da investigação confirmam "mais uma vez a evidência inequívoca de que Alexei Navalny foi vítima de um ataque com um agente químico neurotóxico do grupo Novichok", declarou o governo alemão em nota, renovando "seu apelo para que a Rússia explique o ocorrido".

Vítima de um mal-estar durante um voo na Rússia em 20 de agosto, Alexei Navalny foi atendido primeiro em um hospital da Sibéria antes de ser transferido para a Alemanha.

Nesta terça-feira, Alexei Navalny disse que está melhor e espera voltar em alguns meses para seu país.

"As mãos tremem, se eu tomo uma garrafa de água é divertido, mas estou muito melhor", afirmou em entrevista, a primeira concedida pelo advogado e ativista anticorrupção de 44 anos a um jornalista russo, o youtuber Yury Dud, desde que recebeu alta do hospital de Berlim.

"Tive um período realmente desagradável, quando começava apenas a levantar da cama (...) Depois, me recuperei de maneira bastante rápida", completou o opositor, em um vídeo que já teve mais 1,8 milhão de visualizações.

Ao ser perguntado sobre o tempo de recuperação na Alemanha, Navalny respondeu que não sabe.

"Pergunto aos médicos quanto tempo vou precisar para que minhas mãos parem de tremer: eles respondem que têm pouca experiência no tema", declarou, em referência à substância neurotóxica Novichok.

O Novichok é um grupo de agentes neurotóxcos particularmente perigosos, já utilizado em 2018 para envenenar o ex-espião Serguei Skripal e sua filha Yulia em Salisbury, Inglaterra.

O Kremlin nega qualquer responsabilidade e o caso gerou uma crise diplomática.

Escrito por:

AFP