Publicado 12 de Setembro de 2020 - 5h30

Em sua segunda edição, o Festival da Canção Brasileira - Etapa Campinas, será realizado neste sábado, no Teatro do Sesi Amoreiras, com entrada franca.O Festival da Canção Brasileira é uma iniciativa do Sesi-SP que tem por objetivo revelar novos talentos, fomentar e difundir a produção musical, além de incentivar o desenvolvimento da música brasileira. Concorrem canções inéditas em português nos mais diferentes ritmos e estilos: samba, rock, pop rock, samba rock, forró, frevo, folk, pagode, jazz, blues, regional, sertaneja, folclórica, MPB e outros.O concurso dá um prêmio de R$ 8 mil ao primeiro colocado. O segundo colocado recebe R$ 6 mil, e o terceiro, R$ 3 mil. A melhor interpretação da final também vai render ao cantor ou cantora o prêmio de R$ 1 mil.O evento referencia os grandes festivais do passado. Realizado nas décadas de 1960 e 1970, essas festas de mobilização do público revelaram nomes como Edu Lobo, Chico Buarque, Caetano Veloso e Gilberto Gil e consagraram no inconsciente popular canções como Ponteio, A Banda, Arrastão e Disparada, para citar só algumas. Os intérpretes, cantores e cantoras que entoavam com maestria cada nota e palavra criadas por esses compositores, também ganharam fama. Esse é o caso de Elis Regina, Jair Rodrigues, Nana Caymmi e a banda de rock psicodélico Os Mutantes.As apresentações das dez canções selecionadas pela região de Campinas, serão realizadas ao vivo perante a Comissão de Seleção, em evento aberto ao público. Esta é uma iniciativa voltada aos compositores e interpretes da MPB que já revelou muitos novos talentos. Nesta edição foram classificados Kadu Anjos (Tudo sempre passa); Diogo Nazareth (Pretinho); Anderson Martins (Meu lugar); Adriana Cavalcanti (Sua voz); Thyago Carvalho (O insatisfeito sorri); Orquestra dos Quintais (Esporas do tempo); Bruno Moritz (Acorda amor); Lucas Madi e Paulo Ohana (Amorfa); Taquinho de Minas (Um cheiro de flor); Miguel Rabelo (Suíte Brasil).Para não perder o embalo, no intervalo de deliberação dos jurados, haverá uma apresentação de Consuelo de Paula e João Arruda com o show Beira de Folha.O espetáculo é resultado de um processo criativo entre a cantora, compositora e poeta Consuelo de Paula e o violeiro, compositor e multi-instrumentista João Arruda. Foi construído no diálogo entre diferentes linguagens – fotografia, poema-canção, melodia – em um movimento em que fotografias e vídeos despertaram poemas, que geraram melodias, que despertaram canções. Essa criação sugere, com projeção de imagens e vídeos, um rodamoinho de efeitos visuais e sonoros que colocam em movimento os sentimentos do mundo, numa conexão entre as forças da natureza e a alma humana. Consuelo acaba de lançar o álbum Maryákoré, o sétimo de sua carreira.