Publicado 19 de Setembro de 2020 - 5h30

O vídeo que viralizou nas redes sociais do ataque do administrador de empresas, Rodrigo Farias Ferronato, no último dia 12, na unidade da sorveteria Colorê, no Jardim Flamboyant, em Campinas, após ter a atenção chamada, por uma das donas do local, sobre o uso incorreto da máscara de proteção, foi feito pelo lutador de MMA, Matheus Bahia, de 21 anos.

O jovem estava acompanhado da namorada, e aguardava a vez de ser atendido quando percebeu um comportamento estranho do homem, que estava no caixa. Ele disse que como percebeu que o cliente ficou alterado, temeu que o homem fosse agredir a mulher. Então acionou o vídeo para garantir uma prova para uma suposta defesa sua. “Se o homem batesse na mulher, eu ia defendê-la e ia bater nele. Então para não perder a minha e nem a razão dela, quis registrar tudo para depois usar em nossa defesa”, contou o rapaz.

Bahia prestou depoimento no 4 Distrito Policial (DP), na tarde da última quinta-feira. Ele confirmou que não houve agressões físicas entre a comerciante e o administrador de empresas, mas garantiu que o cliente xingou e fez ameaças a mulher e também causou danos ao local. “No começo não entendi nada. Mas quando fui atendido, perguntei para a mulher o que tinha acontecido. Ela me relatou. Realmente, ele não usava a máscara de proteção de forma correta. Estava abaixo do nariz, só tampando a boca”, falou.

Bahia disse que estava na fila de espera e no local haviam mais duas pessoas, além de sua namorada. Enquanto aguardava o atendimento, Ferronato estava no balcão quando em dado momento pegou o telefone, fez uma ligação e passou a andar de um lado para o outro.

Depois teria levantado o celular em direção da mulher e passado a filmá-la, momento que ela pediu para que não fosse filmada. Então, o homem começou a se exaltar, falando alto palavrões. “Foi muito rápido. Mas ele falava muito alto. Pensei: se ele bater nela, eu bato nele. Mas deu sorte que ele não fez nada demais contra ela”, disse.

Segundo o lutador de MMA, como o homem dizia para a mulher que ela não sabia quem ele era, decidiu enviar o vídeo para alguns colegas, para que descobrissem de quem se tratava. Depois ele enviou as imagens para a vítima e perguntou se podia publicar no Facebook. “Ela autorizou e fiquei surpreso com a repercussão. Era só para achar ele e mostrar o que ele fez”, contou.

Pollyana Reis prestou depoimento na parte da manhã. O advogado dela, Guilherme Martins, pediu medida cautelar contra o agressor. A vítima teme que ele se aproxima dela e tente algo pior. O pedido está sendo avaliado pelo delegado.

Apesar do acusado negar que as agresões verbais e ameaças à dona do estabelecimento e de estar suando adequamente a máscara, o vídeo deruta a defesa.