Publicado 18 de Setembro de 2020 - 5h30

Sem filas e com baixa procura, a agência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) da Rua Barreto Leme, no Centro, em Campinas, retomou parcialmente o atendimento presencial na manhã de ontem. Como a perícia médica segue suspensa, algumas pessoas que compareceram à unidade voltaram frustradas para casa com a orientação para remarcar a análise pelo telefone 135. Estão disponíveis os serviços de avaliação social, cumprimento de exigências, justificação administrativa ou judicial e o de reabilitação profissional, apenas com agendamento prévio e em horário reduzido, das 7h às 13h.

A reabertura ocorre após mais de cinco meses de atendimento remoto, em decorrência da pandemia da Covid-19, e depois do órgão reverter decisão do Tribunal Regional Federal da 3 Região (TRF-3) que havia impedido a retomada do atendimento no Estado de São Paulo, previsto para começar na última segunda-feira. O INSS informou, em nota, que o TRF-3 reconheceu que foram adotadas medidas para garantir a segurança tanto da população quanto dos servidores.

Para todos os serviços, o agendamento deve ser feito pelo Portal Meu INSS (site gov.br/meuinss e aplicativo) ou pelo telefone 135. "Segurados sem agendamento não serão atendidos nas agências, para evitar aglomerações, conforme determinações do Ministério da Saúde", frisa o texto.

A Perícia Médica Federal, ligada à Secretaria Especial de Previdência e Trabalho (SEPRT) do Ministério da Economia, demandou adequações nas salas de perícias, após inspeção realizada entre os dias 8 e 9 de setembro. O órgão informou que começou a promover os ajustes necessários no último dia 10. Ontem, a SEPRT informou que, após novas inspeções realizadas nesta semana, foi concluído que das 169 agências que possuem esse serviço essencial, 111 já estão aptas a atender o público.

De acordo com o INSS, a vistoria na unidade de Campinas "está prevista para os próximos dias". A perícia médica é realizada para a concessão de algum benefício, por causa de doença que impeça a pessoa de trabalhar ou que possa prejudicar sua saúde em razão da ocupação ou função.

A SEPRT informou que os peritos médicos federais já foram informados a respeito da liberação dos consultórios. Caso algum servidor apto ao trabalho presencial não compareça, sem justificativa, terá registro de falta, que implica em desconto e pode resultar em processo administrativo disciplinar. O Sindicato dos Trabalhadores da Saúde e Previdência do Estado de São Paulo (Sinspev-SP) entende que não há garantias contra o contágio da Covid-19. E, por isso, aderiu à greve sanitária nacional, adotada por alguns peritos da cidade.

Os serviços que não estão disponíveis de forma presencial neste primeiro momento, continuam acessíveis pelos canais remotos. Além disso, o regime de plantão para tirar dúvidas segue enquanto o atendimento presencial não for totalmente retomado, atendendo aos cidadãos que têm dúvidas em relação ao uso dos canais remotos.

Visando à segurança de segurados e servidores, as agências, nesta fase da retomada gradual, atenderão abaixo da capacidade habitual. Outra medida adotada pelo órgão é a obrigatoriedade do uso de máscaras, além da aferição da temperatura corporal. Este procedimento será feito na porta da unidade, por um servidor que portará termômetro infravermelho. O segurado que estiver agendado e chegar à agência sem máscara, receberá uma descartável para que possa acessar as dependências.

Baixa umidade deixa cidade em alerta

Campinas entrou em estado de alerta na manhã de ontem por causa da baixa umidade relativa do ar, que atingiu o índice de 19,4%. O alerta é do Departamento de Defesa Civil de Campinas, a partir de dados da Estação Ciiagro/IAC Campinas. É declarado estado de alerta quando a umidade relativa do ar está entre 12% e 20%. A temperatura atingiu 34,4 graus centígrados, às 12h36.

A Defesa Civil recomenda evitar exercícios físicos ao ar livre entre 10h e 16h, fugir de aglomerações em ambientes fechados e usar soro fisiológico para olhos e narinas. É importante se proteger do sol, manter a hidratação e ficar em locais arejados. (Francisco Lima Neto/AAN)