Publicado 23 de Setembro de 2020 - 0h04

Por Gustavo Magnusson/Da Agência Anhanguera

Apodi marcou o gol de honra da derrota por 3 a 1 para o América-MG, que custou a eliminação da Ponte Preta na Copa do Brasil

Ponte Press/Pedro Vale

Apodi marcou o gol de honra da derrota por 3 a 1 para o América-MG, que custou a eliminação da Ponte Preta na Copa do Brasil

Após amargar dois empates com sabor de derrota, a Ponte Preta voltou a decepcionar a sua torcida, sofreu o pior revés da temporada - o primeiro por dois gols de diferença - e está eliminada da Copa do Brasil.

Com uma atuação muito fraca, a Macaca perdeu por 3 a 1 para o América-MG na noite de ontem, no estádio Independência, em Belo Horizonte, pelo jogo de volta da quarta fase da competição. Os gols do Coelho foram marcados por Felipe Azevedo, Alê e Rodolfo, enquanto Apodi anotou o gol de honra no fim.

Com a eliminação, a Ponte deixa de embolsar o prêmio de 2,6 milhões pela passagem às oitavas de final e encerra a sua participação na competição com os R$ 4,69 milhões que já havia faturado pelas classificações nas fases anteriores.

Com o resultado negativo, a Ponte Preta também vê o tabu sem vitória contra o América aumentar para seis jogos, sendo três deles de agosto pra cá.

O jogo

Após ter o ônibus recebido de forma hostil na chegada ao estádio, com socos e chutes da torcida adversária, a Ponte Preta iniciou a partida com apenas uma alteração na equipe titular em relação ao empate contra o Operário, no último sábado. O técnico João Brigatti promoveu a entrada do atacante Moisés no lugar do meia Luan Dias, abdicando do esquema 4-4-2 e retornando ao 4-3-3 que havia adotado no jogo de ida contra o Coelho, com três atacantes.

No entanto, o sistema não funcionou e o primeiro tempo da Macaca foi um verdadeiro desastre. Com menos de 30 segundos, o América só já não estava na frente do placar porque Alê pegou mal na bola e chutou longe. Aos 2', Léo Passos recebeu cruzamento pela esquerda, mas perdeu chance inacreditável, desviando para fora. A primeira e única chegada da Ponte Preta na primeira etapa aconteceu aos 4', quando Matheus Peixoto arriscou da entrada da área, mas Matheus Cavichioli agarrou no meio do gol.

Depois disso, a Macaca foi atropelada. Aos 23', Felipe Azevedo acertou a trave, mas aos 3' não teve jeito e a Lei do Ex entrou em ação mais uma vez - ele havia marcado o gol de empate nos acréscimos no Moisés Lucarelli. Após cruzamento preciso de Juninho pelo lado direito, Azevedo subiu mais alto que Apodi e cabeceou no ângulo de Ivan. O lateral ficou reclamando de carga nas costas, mas em vão. Aos 36', o Coelho aumentou o marcador após trama envolvente pela direita que encontrou Alê sozinho no meio da área para chutar forte no canto, sem chance para Ivan.

No segundo tempo, a equipe mineira aumentou o placar aos 17'. Bruno Reis perdeu a frente para Diego Ferreira e cometeu pênalti grosseiro que Rodolfo bateu no alto para fazer o terceiro. A Ponte diminuiu aos 47', em uma falha de Cavichioli após chute de Apodi, que marcou o segundo gol com camisa pontepretana - ele também havia balançado as redes na última partida.

Agora com apenas uma competição para disputar até o fim da temporada, a Ponte Preta volta a campo no próximo domingo contra o Confiança, às 20h30, no Moisés Lucarelli, pela 11ª rodada da Série B.

=============

FICHA TÉCNICA:

AMÉRICA-MG ( 3 )

Matheus Cavichioli; Diego Ferreira, Messias, Eduardo Bauermann e Sávio (Lucas Luan 40/2º); Zé Ricardo, Juninho e Alê (Marcelo Toscano 40/2º); Léo Passos (Ademir 40/2º), Rodolfo (Guilherme 40/2º) e Felipe Azevedo (Neto Berola 31/2º). Técnico: Lisca.

PONTE PRETA ( 1 )

Ivan; Apodi, Alisson (Neto Moura/Int.), Wellington Carvalho e Guilherme Lazaroni (Ernandes/Int.); Luís Oyama (Danrley 19/2º), Bruno Reis e João Paulo; Moisés (Zé Roberto 33/2º), Matheus Peixoto (Guilherme Pato 33/2º) e Bruno Rodrigues. Técnico: João Brigatti.

Gols: Felipe Azevedo, aos 31', e Alê, aos 36', do 1º tempo; Rodolfo, aos 17', e Apodi, aos 47' do 2º tempo.

Local: Independência.

Público e Renda: Portões Fechados.

Juiz: Dyorgines José Padovani de Andrade (ES).

Cartões amarelos: Guilherme Lazaroni, Luís Oyama e Neto Moura (PP); Léo Passos, Alê (AME).

Escrito por:

Gustavo Magnusson/Da Agência Anhanguera