Publicado 12 de Setembro de 2020 - 10h20


Leandro Ferreira/AAN

A região de saúde de Campinas registra a menor média diária em sete dias de novos casos de Covid-19 desde 19 de junho, segundo a Secretaria de Estado da Saúde. As 42 cidades da região chegaram a 93.698 infectados pelo novo coronavírus desde o início da pandemia, e a 2.942 mortes. Nos últimos sete dias, comparados à semana anterior, houve queda no registro diário de novos casos, de mortes e nas internações de pacientes graves em UTIs. As quedas ficaram acima de 15%, o que indica desaceleração da pandemia na região.

Entre 4 e 10 de setembro foram notificadas a média diária de 582 infectados pelo novo coronavírus, queda de 34,3% em comparação com a semana anterior, de 3 a 9 de setembro. Nos últimos sete dias, a média diária de mortes foi de 18, redução de 15,89% em relação à semana anterior, e as internações, com média diária de 104 novos pacientes em UTIs, caíram 16,5%. A taxa de ocupação de UTIs, nas 42 cidades da região de saúde de Campinas, ficou em 56,4%.

A tendência de queda está ocorrendo em todo o Estado de São Paulo, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde. O Interior responde por 50,7% dos casos e 38,3% das mortes no Estado.

Na média estadual, os números apontam que a pandemia vem regredindo de forma consistente. De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde e do Centro de Contingência do coronavírus, São Paulo registra declínio de mortes por Covid-19 há cinco semanas consecutivas. Já as internações de pacientes com coronavírus estão em queda há oito semanas.

Na atualização desta semana, a variação de novos casos na média estadual foi 31% menor em relação à medição anterior. As novas internações caíram 10% em comparação à semana passada, e o número de óbitos foi 20% menor. A taxa estadual de internações por cem mil habitantes é de 43,7, além de média de seis mortes por coronavírus a cada cem mil habitantes.

A capacidade de atendimento hospitalar a pacientes graves com Covid-19 também é considerada confortável - a média atual de ocupação de leitos de UTI é de 52,5. Atualmente, o estado de São Paulo dispõe de 20,5 vagas hospitalares para casos graves de COVID-19 a cada cem mil habitantes.