Publicado 25 de Setembro de 2020 - 11h53

Por Maria Teresa Costa


Cedoc / RAC

Pela primeira vez, desde o início da pandemia, Campinas não registrou internações de novos pacientes em leitos de UTI nos últimos sete dias nas unidades sob gestão da Prefeitura – hospitais da Rede Mário Gatti e rede particular contratada. As unidades municipais do Sistema Único de Saúde (SUS), que somam 131 leitos, registraram ontem taxa de ocupação de 57,25%. Além disso, caiu o tempo de internação dos pacientes graves. Embora ainda existam 75 pessoas em leitos de UTI há mais de um mês na rede municipal, a media de internação que estava em 15 dias, caiu agora para 10 dias.

A quedas nas internações vem ocorrendo também na região de saúde de Campinas, formada por 42 cidades. A taxa de ocupação ontem ficou em 47,04%, a menor desde o início da pandemia. Houve uma redução de 12,5% no número de pacientes graves nos hospitais nos últimos sete dias – eram 745 há duas semanas e caiu para 652 nessa semana.

O comportamento também se repete no Estado de São Paulo. Existem 5.280 pessoas internadas em enfermarias, entre casos suspeitos e confirmados, além de 3.932 pacientes graves, que recebem tratamento nas Unidades de Terapia Intensiva. A taxa de lotação dos leitos de UTI é de 46,9% no Estado e 46,1% na Grande SP, com queda de internações nas últimas nove semanas.

Escrito por:

Maria Teresa Costa