Publicado 14 de Setembro de 2020 - 17h31

Por AFP

O furacão Sally no Golfo do México ameaçava nesta segunda-feira (14) os estados americanos do sul dos Estados Unidos, como Alabama, Louisiana e Mississippi, onde poderá atingir nesta semana a intensidade 2, enquanto o furacão Paulette ganha força no meio do Atlântico depois de chegar nas ilhas Bermudas, segundo meteorologistas.

Às 18h GMT(15h BSB), Sally soprava com ventos máximos sustentados de 150 quilômetros por hora e seu olho estava localizado a 260 km a sudeste de Biloxi, Mississippi, de acordo com o National Hurricane Center (NHC), com sede em Miami.

O NHC emitiu um alerta de furacão para as áreas costeiras do Alabama, Mississippi e Louisiana, que ainda está se recuperando do impacto do furacão Laura em agosto.

Enquanto isso, Paulette, que se transformou em furacão no sábado, soprava nesta segunda-feira com ventos máximos de 170 km por hora sobre as ilhas Bermudas, território britânico no Atlântico, acrescentou a entidade em outro boletim.

Espera-se que Paulette ganhe força de furacão de categoria 3, em uma escala de no máximo 5, depois de atingir as ilhas Bermudas nesta segunda-feira. Depois de passar pelas ilhas, não deve chegar a outro espaço em terra.

Imagens de satélite mostraram as Bermudas completamente no centro do furacão, com nuvens de tempestade girando em torno dele.

Entretanto, Sally se desloca de forma lenta pelo Golfo do México e deve chegar ao continente na terça à noite ou no início da quarta-feira como um furacão na área da Louisiana.

O governador deste estado, John Bel Edwards, disse que Sally poderia afetar a parte sudeste da Louisiana e pediu aos moradores que se preparassem. "Sejam inteligentes e fiquem seguros", tuitou.

Os governadores do Alabama e Mississippi declararam estado de emergência. Tate Reeves, do Mississippi, disse que o furacão Sally deve atingir a região de Biloxi às 2h locais na quarta-feira.

"As previsões de ondas ciclônicas continuam sendo uma preocupação, podendo chegar a entre 1,5 e 2,4 metros", escreveu Reeves.

"Continuamos muito preocupados com a quantidade de chuva", acrescentou, detalhando que algumas áreas podem receber até 50 centímetros de chuva.

A tempestade Sally se formou ao passar pelo sul da Flórida, onde produziu fortes chuvas no fim de semana.

Também nesta segunda-feira, no Atlântico uma depressão tropical tornou-se a tempestade tropical Vicky, a vigésima a ser nomeada em uma temporada excepcionalmente ativa que gerou tempestades em tempo recorde.

Além de Sally, Paulette e Vicky, o NHC também monitora a tempestade tropical Teddy, uma depressão tropical remanescente da tempestade René e dois fenômenos, um dos quais também atinge o Golfo do México.

cl/ft/lm/rsr/jc/bn

Escrito por:

AFP