Publicado 14 de Setembro de 2020 - 13h51

Por AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, viaja nesta segunda-feira (14) para a Califórnia, afetada pelos incêndios que assolam a costa oeste do país, onde deverá fazer um discurso contrário ao de seus adversários democratas, que tentam conscientizar sobre a necessidade de combater as mudanças climáticas.

As dezenas de focos que devastam há dias a costa deixaram pelo menos 35 mortos desde o início do verão, 27 deles na última semana nos estados de Washington, Oregon e Califórnia.

Em campanha pela reeleição, Trump chegará a Sacramento, capital da Califórnia, onde será informado da situação e, em seguida, participará de cerimônia em homenagem à Guarda Nacional do estado.

Ele permanece no estado por apenas algumas horas, antes de viajar para o Arizona, um dos que poderão decidir as eleições presidenciais em 3 de novembro.

Kamala Harris, a candidata democrata à vice-presidência, irá à Califórnia nesta segunda-feira à noite para verificar os danos causados pelas chamas e se encontrar com os responsáveis pelos serviços de emergência na terça-feira.

A senadora da Califórnia acusa Trump de negar os fatos, ao não reconhecer que os incêndios são "alimentados e intensificados pela crise climática".

O presidente republicano prefere outra hipótese: os incêndios se devem à má gestão das florestas por parte dos estados do oeste, todos controlados por seus rivais democratas.

"Lembrem-se dessas palavras: manejo florestal", disse ele no sábado, durante um comício de campanha em Nevada.

O candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, falará nesta segunda-feira em Delaware sobre "a ameaça que eventos climáticos extremos representam para os americanos" e a "necessidade urgente de combater a crise climática".

"O presidente Trump pode tentar negar a realidade, mas os fatos são inegáveis", declarou ele na noite de sábado, depois que seu adversário atribuiu os incêndios ao manejo florestal.

De acordo com o consenso científico, a magnitude desses incêndios está ligada às mudanças climáticas, que agravam uma seca crônica e causam condições climáticas extremas.

Na Califórnia, as chamas fizeram 16 vítimas na última semana, 14 delas no condado de Butte. Em novembro de 2018, a região foi alvo dos incêndios que devastaram a cidade de Paradise.

Os incêndios já haviam deixado oito mortos em agosto no estado.

Nesta segunda, a fumaça provocada pelas chamas se espalha por áreas muito grandes e atinge o ar das cidades de Portland (Oregon), Seattle (estado de Washington) e San Francisco (Califórnia), que estão entre as mais poluídas do mundo, segundo a empresa IQAir.

Dez pessoas morreram em Oregon nos incêndios.

Escrito por:

AFP