Publicado 14 de Setembro de 2020 - 1h11

Por AFP

A Organização Iraniana da Energia Atômica (OIEA) afirmou neste domingo que há 1044 centrífugas em funcionamento na usina de Fordo, depois que Teerã decidiu começar a se desvincular do acordo envolvendo o programa nuclear do país.

A suspensão das atividades de enriquecimento de urânio na usina de Fordo, próxima à cidade sagrada de Qom, foi um dos compromissos assumidos pelo Irã no acordo internacional assinado em Viena em 2015, destinado a limitar seu programa nuclear em troca de um levantamento progressivo das sanções contra a república islâmica.

Em maio de 2019, um ano após a retirada unilateral dos Estados Unidos do pacto e o restabelecimento por Washington das sanções contra Teerã, o Irã anunciou que deixaria de honrar alguns de seus compromissos, o que gerou indignação em França, Reino Unido, Alemanha (que assinaram o acordo) e União Europeia.

O anúncio da atividade de enriquecimento por 1.044 centrífugas foi feito hoje por Ali Akbar Slehi, chefe da OIEA, à agência oficial do Parlamento, Icana. "Nós havíamos prometido que estas 1.044 máquinas não enriqueceriam urânio, mas isto ocorre devido à nossa retirada do compromisso e das nossas necessidades", assinalou, explicando que o Irã estava armazenando urânio enriquecido.

Segundo o acordo, Teerã deveria limitar o armazenamento de urânio enriquecido, o nível deste enriquecimento, o número de centrífugas e o desenvolvimento de centrífugas avançadas, porém o país decidiu se desvincular de todos estes pontos.

amh/mdz/hj/jvb/lda/lb

Escrito por:

AFP