Publicado 27 de Setembro de 2020 - 14h22

Por AFP

Donald Trump sempre se gaba de sua astúcia e dureza e, na próxima semana, usará seus golpes verbais no primeiro debate com Joe Biden para as eleições de 3 de novembro nos Estados Unidos.

"É como uma luta no ringue. A mesma coisa, um pouquinho menos físico, apenas", disse ele dias atrás, comparando o dabate de terça-feira com uma luta de Artes Marciais Mistas (MMA).

Entretanto, 35 dias antes das eleições, os discursos às vezes contraditórios e confusos do presidente, de 74 anos, podem voltar-se contra ele em relação ao seu oponente democrata, de 77.

Seu ponto forte? Sua capacidade de impor suas próprias regras.

Como no exercício do poder, Trump busca no debate se livrar das tradições que se enraizaram nesses confrontos desde o primeiro organizado há 60 anos, em Chicago, entre o democrata John F. Kennedy e o republicano Richard Nixon.

Trump é "único", disse à AFP Aaron Kall, professor da Universidade de Michigan e co-autor do livro "Debating The Donald".

"Não existe uma fórmula para confrontá-lo".

O 45º presidente dos Estados Unidos adora os holofotes, mas está acostumado a ficar sozinho no palco, como em seus comícios de campanha onde ocupa, com verdadeiro talento, todo o espaço.

O ex-apresentador de "reality shows" participou em 14 debates políticos em sua vida: 11 durante as primárias republicanas em 2015-2016 e três contra quem foi finalmente sua rival, Hillary Clinton.

Agora, atrás nas pesquisas, deve aproveitar a oportunidade do encontro em Cleveland, Ohio.

Ele mesmo, no entanto, se colocou em uma posição desconfortável com ataques pessoais de virulência e piadas incomuns durante meses sobre o estado de saúde física e mental de seu oponente, quem ele apresenta como um idoso um pouco perdido, manipulado por seu entorno e pela "esquerda radical".

"Joe, O Dominhoco sequer sabe onde está ou o que está fazendo"; "sequer sabe que está vivo", disse sobre o ex-vice-presidente de Barack Obama, na política há décadas.

No entanto, uma das razões pelas quais ganhou há cinco anos as primárias republicanas é que insistiu em que era um novato na política contra governadores e senadores experientes.

Nos últimos dias, portanto, ele tentou um giro espetacular de 80 graus em sua estratégia.

Escrito por:

AFP