Publicado 25 de Setembro de 2020 - 14h42

Por AFP

Os países vizinhos do Mali mantiveram as sanções impostas na sequência do golpe militar de 18 de agosto nesta sexta-feira, ao não aceitar a posse de um presidente de transição e insistir na nomeação urgente de um primeiro-ministro civil.

As sanções "serão suspensas quando um primeiro-ministro civil for nomeado", diz um comunicado lido à imprensa pelo presidente da Comissão da Comunidade dos Estados da África Ocidental (CEDAO), Jean Claude Kassi Brou.

O texto menciona "a importância e a urgência" da nomeação de um primeiro-ministro civil.

A CEDEAO impôs um embargo aos fluxos comerciais e financeiros com o Mali dois dias após o golpe de 18 de agosto, para obter o retorno à ordem constitucional.

sd-lal/cld/mab/eg/cc

Escrito por:

AFP