Publicado 21 de Setembro de 2020 - 19h32

Por AFP

O opositor russo Alexei Navalny afirmou nesta segunda-feira que a substância neurotóxica Novichok foi detectada em seu organismo e sobre seu corpo, e exigiu que Moscou devolva as roupas que vestia no dia do envenenamento, que considera uma "prova vital".

"Antes da autorização para a transferência à Alemanha, eles tiraram toda a minha roupa e me enviaram totalmente nu. Levando em consideração que encontraram Novichok em meu corpo e que um método de infecção por contato é muito provável, minha roupa é uma prova material muito importante", escreveu em seu blogo o principal opositor do Kremlin, que está internado em um hospital de Berlim.

"Exijo que minhas roupas sejam cuidadosamente empacotadas em uma bolsa de plástico e devolvidas", completou.

Navalny, de 44 anos, sofreu um grave mal-estar a bordo do avião que o transportava da Sibéria a Moscou. Ele ficou dois dias em um hospital russo, apesar dos protestos de sua equipe, e depois foi levado para a Alemanha.

Um laboratório militar alemão concluiu que ele foi envenenado com uma substância do tipo Novichok, concebida para fins militares na época soviética, o que Moscou refuta.

De acordo com colaboradores de Navalny foram detectados vestígios da substância em uma garrafa de água encontrada no quarto de seu hotel na Sibéria.

Nesta segunda-feira, Navalny ironizou as verificações da polícia de transportes russa depois que ele passou mal no avião. "É como se tivesse escorregado em um supermercado e quebrado uma perna", comentou, de modo sarcástico.

Em outra publicação no Instagram, Navalny reservou palavras especiais para a mulher Yulia que, durante as três semanas em que permaneceu em coma, "conversava, cantava e colocava música".

"Agora sei com certeza, graças a minha experiência, que o amor cura e devolve à vida", disse.

pop/alf/bds/es/eg/fp

Escrito por:

AFP