Publicado 03 de Agosto de 2020 - 17h07

Por Adagoberto F. Baptista

Gilson Rei

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Campinas iniciou ontem a testagem para Covid-19 em trabalhadores da área da Saúde por meio do projeto “Cuidar de Quem Cuida”. A ação é uma parceria feita pelo Instituto Butantã, com o Conselho de Secretários Municipais de Saúde no Estado de São Paulo (Cosems) e o laboratório Hilab.

Ao todo, deverão ser testados nesta primeira etapa do projeto mais de 20 mil profissionais da linha de frente dos serviços públicos de saúde e de instituições hospitalares da rede privada, incluindo todas as pessoas que trabalham nos ambientes da Saúde, tanto as equipes médicas; como os profissionais de enfermagem, de higiene, de limpeza, de nutrição, de vigilância e outros.

As instituições médicas receberam as informações sobre o projeto e estão em fase de cadastramento. Neste primeiro momento, clínicas, consultórios privados e profissionais autônomos não entram na testagem. No futuro, haverá a testagem dos profissionais da Saúde das Instituições de Longa Permanência de Idosos; profissionais de segurança pública e pessoas privadas de liberdade e trabalhadores que atuam em presídios.

Carmino de Souza, secretário Municipal de Saúde, explicou que os testes serão feitos em pessoas que não estão com sintomas (assintomáticas) e que não tiveram resultado positivo para Covid anteriormente. Trata-se de um teste rápido para detecção de anticorpos. Uma pequena amostra de sangue é retirada do dedo, pela qual é verificado se a pessoa produziu anticorpos contra o coronavírus recentemente ou há mais tempo.

O exame é cadastrado em um aplicativo do laboratório Hilab e o resultado é disponibilizado em cerca de 30 minutos, com a emissão do laudo. “Se o resultado apontar que os anticorpos foram produzidos recentemente, o profissional deve ser afastado por sete dias. Cada unidade de saúde fará os testes em seus profissionais”, disse Carmino. Pessoas que estejam com sintomas de Covid-19 não farão esse teste e sim o PCR (do cotonete no nariz).

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista