Publicado 26 de Agosto de 2020 - 12h38

Por Agência Anhanguera de Notícias

Mawusi Tulani e Agyei Augusto em cena de 'Todos os Mortos': história ambientada na São Paulo de 1899, poucos anos depois da abolição

Reprodução

Mawusi Tulani e Agyei Augusto em cena de 'Todos os Mortos': história ambientada na São Paulo de 1899, poucos anos depois da abolição

O longa brasileiro Todos os Mortos, escrito e dirigido pela dupla Caetano Gotardo e Marco Dutra, foi selecionado para a competição do 48º Festival de Cinema de Gramado e do 68º Festival de Cinema de San Sebastián, na Espanha, onde concorre na seção Horizontes Latinos. O filme, com produção da Dezenove Som e Imagens e da Good Fortune Films, também foi exibido na seleção oficial do Festival de Berlim em fevereiro, em que concorreu ao Urso de Ouro, premiação máxima do Berlinale 2020. O longa é ambientado em São Paulo entre 1899 e 1900, poucos anos após a abolição do trabalho escravo no país.

No Festival de Gramado, o filme participa da competição, que ocorre de 18 a 26 de setembro em formato híbrido que une televisão e internet e será exibido pelo Canal Brasil, que apoia o evento gaúcho. Assim como o Festival de Gramado, o de San Sebastián será realizado de 18 a 26 de setembro.

Duas famílias, uma branca, os Soares, e outra negra, os Nascimento, guiam a trama, que se passa onze anos após o fim do período escravista - passado recente que ainda mantém os decadentes Soares presos à ideia de superioridade e posse. Na São Paulo de 1899, os fantasmas do passado ainda caminham entre os vivos. As mulheres da família Soares, antigas proprietárias de terra, tentam se agarrar ao que resta de seus privilégios. Para Iná Nascimento, que viveu muito tempo escravizada, a luta para reunir seus entes queridos em um mundo hostil a conduz a um questionamento de suas próprias vontades. Entre o passado conturbado do Brasil e seu presente fraturado, essas mulheres tentam construir um futuro próprio.

A história é conduzida pelas mulheres das famílias, interpretadas por Mawusi Tulani (dos espetáculos Bom Retiro 948 metros e Cartas de Despejo), Clarissa Kiste (do longa Trabalhar Cansa e no elenco da novela Amor de Mãe, interrompida pela pandemia), Carolina Bianchi (das peças Lobo e Mata-me de Prazer) e Thaia Perez (dos filmes Aquarius e O Homem Cordial). O jovem Agyei Augusto (do musical Escola do Rock) é um dos protagonistas do filme, que também tem participações especiais da cantora Alaíde Costa, da atriz portuguesa Leonor Silveira (conhecida por seu trabalho com o diretor Manoel de Oliveira) e de Thomás Aquino (Bacurau).

A trilha sonora é composta por Salloma Salomão, músico, historiador e educador com profunda pesquisa no cruzamento entre a música brasileira e as tradições da cultura e da música africanas.

Coprodução Brasil/França, Todos os Mortos foi produzido por Sara Silveira e Maria Ionescu, da Dezenove Som e Imagens, e por Clément Duboin e Florence Cohen, da Good Fortune Films. O projeto participou da Residência da Cinéfondation e da Fabriques des Cinémas du Monde, do Festival de Cannes. A produção foi realizada com incentivos da Lei do Audiovisual e Fundo Setorial do Audiovisual/BRDE (Ancine); Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (Sabesp) e Programa de Ação Cultural (Proac) do governo do Estado; coprodução com Canal Brasil, Telecine, Spcine da Secretaria Municipal de Cultura; Produção Associada com Bord Cadre e To Be Continued. Também teve apoio do Projeto Paradiso. A coprodução com a França foi viabilizada com parcerias do CNC - Centre National du Cinema et de L’Image Animée e Institut Français.

Caetano Gotardo e Marco Dutra se conheceram no curso de cinema da Universidade de São Paulo (USP), há 21 anos, e sempre trabalharam em proximidade, colaborando em diferentes funções nos filmes um do outro. Ambos são membros do coletivo Filmes do Caixote, assim como Juliana Rojas, montadora de Todos os Mortos. Caetano e Marco dirigiram juntos a montagem teatral Bodas de Sangue, experimento cênico a partir do texto de Federico Garcia Lorca e do filme de Carlos Saura, e também a série ainda inédita Noturnos, do Canal Brasil. Todos os Mortos é o primeiro filme que ambos dirigem em parceria. (Da Agência Anhanguera)

Escrito por:

Agência Anhanguera de Notícias