Publicado 28 de Agosto de 2020 - 14h20

Por Alenita Ramirez

O micro-ônibus, modelo 2000, estava estacionado na rua, onde sempre ficava desde que Figueiredo o tinha comprado, há oito anos

Wagner Souza/AAN

O micro-ônibus, modelo 2000, estava estacionado na rua, onde sempre ficava desde que Figueiredo o tinha comprado, há oito anos

Um motorista de 56 anos passou mais de um ano tentando vender um micro-ônibus e quando conseguiu encontrar um comprador, o veículo foi incendiado. Cláudio Figueiredo entregaria o veículo em 10 dias ao novo proprietário. Ele suspeita de incêndio criminoso e registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil. O fogo foi controlado pelo Corpo de Bombeiros. "Foi assustador. O ônibus não tinha seguro e valia R$ 33 mil. Perdi o ônibus mas ainda bem que estou vivo" , disse.

O caso aconteceu na noite desta quinta-feira (27), na Rua Joaquim de Paula Souza, na Vila Lemos, em Campinas.

O micro-ônibus, modelo 2000, estava estacionado na rua, onde sempre ficava desde que Figueiredo o tinha comprado, há oito anos. O veículo era usado para transporte fretado e como encerrou alguns dos contratos, o motorista decidiu vender o micro-ônibus para pagar algumas contas, inclusive o inventário da casa dos pais, que já são mortos. "Como sou motorista há 23 anos, conheço muitos motoristas e a gente formou grupos para conversar sobre transportes, compra e venda de veículos. Anunciei nos grupos e recentemente uma pessoa de São Paulo se interessou pelo veículo. Como estava precisando muito de dinheiro, acabei vendendo por um valor abaixo. O comprador me pagou pela manhã e a noite aconteceu isso" , relatou.

A vítima tinha acabado de se deitar quando ouviu estalos e gritos da vizinhança por fogo. Ele acreditou que algo de errado tinha acontecido em um bar que fica em frente a sua casa, mas ao abir a porta viu que era no micro-ônibus. "Não deu para acreditar. Chamamos o Bombeiros, a Polícia Militar (PM) veio logo porque tem uma base aqui perto, mas não deu tempo para evitar o estrago. Fui muito bem amparado pela polícia" , falou o motorista que está convicto de que o incêndio foi criminoso. "Há diversas câmaras de segurança, mas estava escuro. Não dá para ver nada. Até o radiador derreteu" .

Escrito por:

Alenita Ramirez