Publicado 28 de Agosto de 2020 - 11h45

Por Daniel de Camargo

A pandemia esvaziou ruas, mudou hábitos e transformou as perdas

Leandro Ferreira/AAN

A pandemia esvaziou ruas, mudou hábitos e transformou as perdas

Um grupo de 15 amigos lançará um site nas próximas duas semanas para homenagear as quase mil mortes por Covid-19 em Campinas. Para preservar a memória dessas pessoas, atribuirão faces e histórias às estatísticas. Ontem, a Prefeitura confirmou mais seis óbitos em decorrência da doença, totalizando 990 desde o início a pandemia.

De acordo com Ney Moraes Filho, funcionário público de 56 anos, que reside no distrito de Barão Geraldo e participa da articulação do projeto, ele e os colegas estavam desconfortáveis com o fato dessas vidas serem, em diversas situações, tratadas de forma superficial, apenas como números. "As pessoas simplesmente não desaparecem", contextualiza. Conversando, entenderam a necessidade de personalizar essas perdas, porque a sensação deles é que há uma naturalização das mortes relacionadas ao novo coronavírus.

Moraes Filho explica que o portal será um espaço para as vítimas serem lembradas, por meio de áudios, fotos, textos e vídeos. Consequentemente, pondera, um local para confortar e também dar voz àqueles que ficaram e desejam compartilhar suas experiências ou luto. Chama a atenção que, em obediência às medidas sanitárias para contenção do vírus, muitas famílias não puderam se despedir ou velar seus entes. Os caixões, por exemplo, permanecem lacrados durante os funerais.

Devido ao número de óbitos já contabilizados na cidade, o registro www.1000vidas.com.br já foi reservado. Contudo, a confirmação se o endereço será, de fato, esse, vai acontecer nos próximos dias. No momento, o ambiente, layout e interatividade estão sendo desenvolvidos. A divulgação da iniciativa teve início ontem, pois o grupo aguardava a confirmação do apoio do Conselho Municipal de Saúde de Campinas. O coletivo é integrado ainda por outras entidades, entre elas o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo (SJ-SP).

Quem quiser prestar homenagem a alguma vítima deve fazer o primeiro contato pelo e-mail: [email protected]. Em seguida, algum colaborador do projeto retornará o contato disponibilizando outros canais para facilitar os procedimentos, como telefones e perfis em redes sociais. "É um site colaborativo: não será cobrado nenhum valor de quem quiser participar", informou. Moraes Filho comenta ainda que a possibilidade se estenderá a instituições e empresas que desejem, no caso, homenagear ex-funcionários.

O conteúdo, enfatiza, será moderado pelo grupo, que vai analisar cada material antes da sua veiculação. O intuito é realizar um trabalho que garanta a dignidade da homenagem, uma atitude necessária "em tempos de comportamentos desmedidos na internet". "Minha esperança é que esse momento de sofrimento aproxime as pessoas. A humanidade deve repensar sua existência. O ser humano é muito individualista e necessitamos de mais solidariedade", reflete.

Escrito por:

Daniel de Camargo