Publicado 28 de Agosto de 2020 - 11h23

Por Da Agência Anhanguera

Movimentação na Rua 13 de Maio, no Centro

Wagner Souza/AAN

Movimentação na Rua 13 de Maio, no Centro

Campinas ultrapassou nesta sexta-feira (28), a marca de mil mortes em consequência da pandemia da Covid 19. De acordo com boletim divulgado agora pela manhã pela secretaria de Saúde, a cidade registrou 1.004 óbitos. No balanço feito na quinta-feira, a cidade contabilizava 990. Segundo os dados da secretaria, a cidade tem hoje 27.330 casos confirmados da doença.

O prefeito Jonas Donizette (PSB) declarou luto oficial de três dias por conta das mortes. Em balanço divulgado pelo prefeito, 883 (88%) das mortes ocorreram em pessoas que tinham as chamadas comorbidades – doenças associadas. Cento e vinte e uma pessoas, no entanto, morreram sem que tivessem qualquer tipo de doença crônica. Dos 1004 mortos, 821 tinham mais de 60 anos e 183 não eram idosos, sendo que 47 destes, tinham menos de 39 anos.

Para homenagear as pessoas que morreram por conta da doença, um grupo de 15 amigos planeja lançar um site na internet nos próximos dias, numa ação que foi batizada de “Mil Vidas”. A ideia, segundo os idealizadores, é criar uma espécie de memorial virtual, em que se pretende transformar os números da pandemia em histórias de vida.

De acordo com Ney Moraes Filho, funcionário público de 56 anos, que mora no distrito de Barão Geraldo e participa da articulação do projeto, o portal será um espaço para as vítimas sejam lembradas por meio de áudios, fotos, textos e vídeos. Segundo ele, será um espaço para confortar e também dar voz àqueles que ficaram e desejam compartilhar suas experiências ou luto.

 

Devido ao número de óbitos já contabilizados na cidade, o registro http://www.1000vidas.com.br já foi reservado. Contudo, a confirmação se o endereço será, de fato, esse, só vai acontecer nos próximos dias. No momento, o ambiente, seu layout e interatividade estão sendo desenvolvidos.

A divulgação da iniciativa teve início nesta quinta-feira, pois o grupo aguardava a confirmação do apoio do Conselho Municipal de Saúde de Campinas. O coletivo é integrado por diversas entidades de classe.

Quem quiser prestar sua homenagem a alguma vítima deve fazer o primeiro contato pelo e-mail: [email protected] Em seguida, algum colaborador do projeto retornará o contato disponibilizando outros canais para facilitar os procedimentos, como telefones e perfis em redes sociais.

“É um site colaborativo: não será cobrado nenhum valor de quem quiser participar”, informou. Moraes Filho comenta ainda que instituições e empresas também poderão homenagear ex-funcionários, por exemplo.

O conteúdo será moderado pelo grupo, que vai analisar cada material antes da sua veiculação. O servidor público lembra que o intuito é realizar um trabalho que garanta a dignidade da homenagem, uma atitude necessária “em tempos de comportamentos desmedidos na internet”.

“Minha esperança é que esse momento de sofrimento aproxime as pessoas. A humanidade deve repensar sua existência. O ser humano é muito individualista e necessitamos de mais solidariedade”, reflete.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera