Publicado 28 de Agosto de 2020 - 16h03

Por AFP

Trinta e cinco dias após seu primeiro título da Premier League em 30 anos, o Liverpool volta a campo neste sábado em Wembley para lutar pelo Community Shield, contra o Arsenal do técnico espanhol Mikel Arteta, ansioso para trazer mais troféus para sua galeria.

Para os "Gunners", que conquistaram a Copa da Inglaterra contra o Chelsea no dia 1º de agosto (2-1), o intervalo foi de apenas quatro semanas.

Após o final da temporada acelerado no último verão europeu e com a Euro-2020 adiada para meados de junho de 2021, o futebol inglês reduziu a pausa de verão ao máximo.

Uma interrupção que presenciou o aumento diário dos casos de coronavírus na Europa.

Embora o futebol inglês tenha autorizado a presença de alguns torcedores neste fim de semana nas arquibancadas do amistoso Brighton-Chelsea, o Wembley não terá a presença do público para a primeira partida oficial da temporada.

O próprio Liverpool foi afetado por um caso positivo em seu elenco na pré-temporada recente na Áustria, há dez dias, embora não tenha especificado se a pessoa infectada foi um jogador ou um membro da comissão técnica.

O Arsenal tem atualmente com quatro jogadores isolados, incluindo o goleiro argentino Emiliano Martínez, segundo a imprensa.

 

 

"Tudo é tão imprevisível de um dia para o outro. Vamos tentar nos adaptar e colocar a equipe nas melhores condições possíveis para o sábado", reconheceu Arteta na quinta-feira.

Mas a covid-19 também teve peso no mercado de transferências, com o Liverpool, por exemplo, abrindo mão de contratar Timo Werner, considerado caro demais e que acabou indo parar no Chelsea.

"Com a covid-19, é preciso pensar cinco vezes para saber o que pode ou não ser feito", admitiu Jürgen Klopp em entrevista à mídia austríaca.

"Não sabemos quanto dinheiro vamos ganhar. Ninguém sabe, embora algumas equipes pareçam mais otimistas em relação ao futuro... como o Chelsea, por exemplo", brincou o treinador alemão.

O Liverpool acompanha de perto o espanhol Thiago Alcântara do Bayern, embora até o momento só tenha contratado o grego Konstantinos Tsimikas.

O Arsenal também se mostrou comedido. Seu principal reforço é o brasileiro Willian, que chegou após ser liberado pelo Chelsea. O contexto político internacional, marcado no final da temporada passada pelas homenagens aos profissionais de saúde mas também pelo movimento anti-racista Black Live Matters, também estará presente.

Escrito por:

AFP