Publicado 27 de Agosto de 2020 - 17h23

Por AFP

A Luisiana foi afetada nesta quinta-feira (27) pelo furacão Laura, que danificou telhados, destruiu prédios e deixou pelo menos um morto, após chegar ao continente durante a madrugada.

Os meteorologistas alertaram para o risco persistente de tempestade enquanto o furacão, um dos mais fortes a atingir o estado, avança para o interior.

A maioria das janelas do edifício Capitol One Bank Tower, na cidade de Lake Charles, foi destruída pelas rajadas de vento violentas que também arrancaram árvores, postes de energia e sinais de trânsito.

A previsão é que o fenômeno, que tocou o solo como categoria 4, deve perder força e ser rebaixado para tempestade tropical nas próximas horas.

Laura obrigou centenas de milhares de pessoas a abandonarem suas casas em Luisiana e Texas, estados do sul dos Estados Unidos, diante da perspectiva de enchentes, fortes ventos e chuvas.

Entre ruas e casas inundadas, mais de 700.000 pessoas ficaram sem energia nos dois estados, de acordo com o site PowerOutage.us.

"Achamos que estávamos seguros. Tínhamos geradores e janelas fechadas com tábuas", disse Ashley Thompson à ABC News. "Ficamos com nossa família em nossa casa debaixo da mesa da cozinha", disse ela. Após cerca de cinco minutos, "perdemos o telhado".

"A ameaça de Laura em Luisiana continua. Fiquem em casa, sigam as instruções e recomendações das autoridades locais", pediu no Twitter o governador do estado, John Bel Edwards, que informou a morte de uma menina devido à queda de uma árvore sobre sua casa na área de Leesville.

Ele também informou sobre um grande incêndio em uma fábrica de produtos químicos perto de Lake Charles, que lançou fumaça negra no céu.

O NHC alertou para o aumento do nível das águas na trajetória do furacão para o norte, rumo ao Arkansas, onde deve chegar à noite.

Laura "continua sendo um furacão mortal com ondas costeiras devastadoras, ventos destrutivos e inundações repentinas", disse a Casa Branca em um comunicado, acrescentando que o presidente Donald Trump prometeu enviar todos os recursos necessários para ajudar aqueles que precisam.

Imagens de satélite revelaram o tamanho imenso do furacão quando atingiu a costa por volta da 1h00 local (00h00 de Brasília), perto da cidade de Cameron, perto da fronteira com o Texas, com ventos sustentados de 240 km/h.

Ao meio-dia de quinta-feira, Laura havia se tornado um furacão de categoria 1 enquanto se movia em direção ao Arkansas.

O governador do Texas, Greg Abbott, chegou a afirmar que Laura teria uma intensidade sem precedentes e pediu às pessoas que se isolassem para evitar contágios.

Escrito por:

AFP