Publicado 27 de Agosto de 2020 - 12h32

Por AFP

No Barcelona desde 2000, quando chegou com apenas 13 anos, o argentino Lionel Messi já passou por vários períodos de relação tensa com o clube espanhol, ao qual comunicou nesta semana seu desejo de sair.

Apesar da reputação de companheiro de equipe discreto e acessível, Messi perdeu a paciência com outros jogadores do Barça em mais de uma ocasião.

Em setembro de 2012, num jogo do Campeonato Espanhol contra o Granada, ele discutiu com o atacante espanhol David Villa por não ter passado a bola para ele diante de uma oportunidade de gol. Em plena partida, Messi confirmou os rumores que corriam há meses sobre a relação conflituosa entre os dois.

Também houve rumores de tensão com Cristian Tello, jovem formado na base do clube catalão, ou com o chileno Alexis Sánchez, que chegou em 2011 por 37 milhões de euros e teria provocado a ira de Messi várias vezes.

Quando já tinha conquistado pela quarta vez o título de melhor do mundo, renovou em janeiro de 2013 contrato por mais cinco anos com o Barça, com um salário de 12 milhões de euros por ano.

Esse valor era inferior aos 17 milhões de euros pagos pelo vínculo acertado meses depois entre seu rival Cristiano Ronaldo e o Real Madrid.

O argentino pediu então um aumento salarial, que foi negado por Javier Faus, vice-presidente responsável pela área financeira do clube espanhol, que considerou que não havia razão "para melhorar o contrato que foi melhorado há seis meses."

Messi então saiu de sua discrição habitual para afirmar que Faus "não sabia nada sobre futebol".

Essa troca de ofensas terminou com o pedido desculpa de Faus. "Messi tem razão, eu não entendo de futebol", declarou o dirigente. "Foi um mal-entendido que esclarecemos com ele e com o pai. Fizemos um novo contrato para ele", destacou.

Um ano depois, Messi viu sua receita subir para 20 milhões de euros, a mais bem paga do mundo.

Em janeiro de 2015, a imprensa espanhola noticiou uma discussão acirrada em um treino entre Messi e seu técnico Luis Enrique, que o censurou por se considerar "o dono do vestiário".

O treinador deixou a estrela no banco de suplentes no jogo seguinte contra o Real Sociedad, e Messi faltouaos treinos no dia seguinte, oficialmente por motivos médicos.

Rumores sobre sua saída circularam, incentivados pelo próprio Messi, que passou a seguir o time inglês Chelsea no Instagram, e a dois jogadores da equipe de Londres.

A menos de um ano do fim do contrato, Messi assinou em 25 de novembro de 2017 a sua nona e até agora última renovação com o Barça, até junho de 2021.

Escrito por:

AFP