Publicado 27 de Agosto de 2020 - 11h42

Por AFP

O estado da Louisiana sofria nesta quinta-feira os efeitos da passagem do furacão, que perde força à medida que avança pelo continente mas deixa um rastro de destruição e inundações, depois de tocar o solo na madrugada com ventos de até 240 km/h.

O Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês) informou no boletim da 12h GMT (9h em Brasília) que Laura avançava na Louisiana a 24 km/h, com direção norte, como furacão de categoria 2, com ventos de 160 km/h e rajadas mais fortes.

A previsão é que o fenômeno, que tocou o solo como categoria 4, deve perder força e ser rebaixado para tempestade tropical nas próximas horas.

Laura obrigou centenas de milhares de pessoas a abandonarem suas casas na Louisiana e Texas, estados do sul dos Estados Unidos, ante a perspectiva de enchentes, fortes ventos e chuvas.

Os vídeos publicados no Twitter pelo "caçador de tempestades" Reed Timmer mostram a violência dos ventos, que quebraram as janelas de vários prédios no centro de Lake Charles, uma cidade da Louisiana conhecida por suas refinarias de petróleo, principal fonte de receita da região.

Mais de meio milhão de moradores ficaram sem energia elétrica durante a manhã na Louisiana e no Texas, informou o site PowerOutage.us.

O NHC alertou para o aumento do nível das águas na trajetória do furacão para o norte, rumo ao Arkansas, onde deve chegar à noite.

"Tempestade catastrófica, ventos extremos e inundações repentinas estão acontecendo em partes da Louisiana", alertou o NHC.

Além da maré alta, as ondas - que devem invadir 65 km terra adentro - podem provocar uma cheia das águas de entre 4,5 e 6 metros acima do nível normal.

As fortes chuvas podem alcançar, de acordo com as previsões, 130 e 250 milímetros, com alguns picos de quase 400 mm no oeste da Louisiana e leste do Texas.

Mais de 1,5 milhão de pessoas estavam sob ordens para abandonar suas casas na Louisiana e Texas, um dos estados mais afetados pela pandemia de COVID-19.

O governador do Texas, Greg Abbott, pediu às pessoas que recorram ao isolamento para evitar contágios.

Angela Jouett, que lidera a operação de evacuação em Lake Charles, informou que novos protocolos foram implementados, devido à pandemia.

"As pessoas que entram (nos centros de proteção) usam desinfetante nas mãos, passam por controles de temperatura e mantêm uma distância física de dois metros", relatou.

Na localidade texana de La Porte, perto de Houston, onde a saída era voluntária, os moradores procuraram artigos de primeira necessidade.

Escrito por:

AFP