Publicado 26 de Agosto de 2020 - 20h35

Por AFP

O ex-presidente equatoriano Abdalá Bucaram, em prisão domiciliar por suposto envolvimento em caso de corrupção, foi hospitalizado em Guayaquil por uma parada cardíaca, informou seu advogado, Cristian Romero, à AFP nesta quarta-feira (26).

Bucaram, 68 anos, "teve uma parada cardíaca. Ele estava em casa e quando menos se esperava, desmaiou", disse Romero por telefone.

O ex-presidente, que usa um marcapasso, deu entrada para cirurgia com "prognóstico reservado", segundo o advogado.

Destituído pelo Congresso em 1997, apenas seis meses após assumir a presidência, Bucaram está em prisão domiciliar desde 14 de agosto por sua suposta participação na venda irregular de insumos médicos durante a emergência de saúde pela pandemia.

O caso teria levado ao assassinato na prisão de um israelense no início deste mês.

Bucaram, que no fim de semana passado anunciou que será candidato à Assembleia Nacional e desistiu de concorrer à Presidência nas próximas eleições, também enfrenta outros processos por crimes de tráfico de armas e bens.

O comandante da polícia de Guayaquil, Víctor Araus, disse ao jornal El Comercio que Bucaram havia sido transferido para um hospital para avaliação médica. "O que eu sei é que não seria nada sério", comentou Araus.

Antes de receber a ordem de prisão, Bucaram já estava sob vigilância domiciliar, usando uma tornozeleira eletrônica, por outras investigações de corrupção.

pld/vel/llu/jc/mvv

Escrito por:

AFP