Publicado 26 de Agosto de 2020 - 19h52

Por AFP

As autoridades de transporte de Nova York alertaram nesta quarta-feira (26) que terão que reduzir significativamente seus serviços se não receberem US$ 12 bilhões em ajuda federal para compensar a queda abrupta no número de usuários devido à pandemia do novo coronavírus.

A capital financeira do planeta tem conseguido manter a pandemia sob controle há várias semanas, mas muitos nova-iorquinos continuam a trabalhar em "home office" e evitam pegar trens e ônibus para se deslocar para bairros mais afastados, pressionando a Autoridade Metropolitana de Transportes (MTA, na sigla em inglês) a considerar uma redução de 40% de seus serviços.

"A MTA nunca tinha visto, nem mesmo durante a Grande Depressão, um declínio de usuários tão severo e sustentado como os que estamos experimentando agora", afirmou o presidente da MTA, Patrick Foye, durante uma reunião da direção por videoconferência, que foi compartilhada on-line.

Os números são assombrosos: apesar das vastas desinfecções diárias, do uso obrigatório de máscaras e do fechamento desde maio de cerca de 420 estações entre a 01h e as 5h - algo inédito desde 1904 - os usuários do metrô caíram 75% em comparação com os níveis pré-pandemia.

As duas principais linhas da MTA, que atendem principalmente as localidades de Long Island e do norte de Nova York, tiveram quedas similares.

Os ônibus, usualmente considerados mais seguros durante a pandemia, estão se saindo melhor, com uma redução de apenas 35% no número de passageiros.

No total, a MTA, que é obrigada legalmente a equilibrar seu orçamento e não pode declarar falência, está perdendo cerca de US$ 200 milhões por semana ou cerca de 40% de suas receitas, segundo seu diretor-financeiro, Robert Foran.

No entanto, até o momento nenhuma medida para reduzir os serviços foi adotada, reforçou Foye.

A ideia é soar o alarme e convencer o governo federal a injetar cerca de US$ 12 bilhões em uma rede que ele chamou de "essencial" para a recuperação econômica de Nova York e dos Estados Unidos em geral.

O pedido de ajuda faz parte de esforços mais amplos do governo democrata de Nova York para obter ajuda federal para lidar com as despesas e a queda na arrecadação provocadas pela pandemia.

Em maio, a Câmara de Representantes, de maioria democrata, aprovou um pacote de ajuda de US$ 3 trilhões para governos estaduais e locais, que o Senado, de maioria republicana, ainda não votou.

As negociações recentes entre os dois partidos para chegar a um acordo falharam.

cat/iba/to/st/mvv

Escrito por:

AFP