Publicado 26 de Agosto de 2020 - 15h42

Por AFP

Um jovem sacerdote norte-americano de Michigan, no norte dos Estados Unidos, teve que ser rebatizado após uma recente "nota doutrinal" divulgada pelo Vaticano sobre a forma correta de celebrar este sacramento.

O Padre Matthew Hood, consternado, percebeu que seu batismo não havia respeitado o dogma da igreja, após ver um vídeo familiar do ritual, segundo a arquidiocese de Detroit em sua página na internet.

O religioso foi batizado de novo, desta vez com a fórmula litúrgica vigente, mas teve que voltar a realizar a primeira comunhão e sua ordenação sacerdotal.

Trata-se de um dos casos registrados depois que o Vaticano publicou uma "nota doutrinal" em 6 de agosto, em que alterava a fórmula para o batismo devido às variações recentes em que se tomou a liberdade de permitir a evocar a presença da família.

O oficiante (aquele que realiza o sacramento) deve dizer obrigatoriamente: "Eu te bautizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo". Porque se trata do representante de Cristo.

A fórmula com a afirmação "nós te batizamos", que inclui as pessoas que assistem à cerimônia, invalida o sacramento, de acordo com a Congregação para a Doutrina da Fé, encarregada de fazer respeitar o dogma.

Sendo proibido proclamar que "em nome do pai e da mãe, do padrinho e da madrinha, dos avós, dos membros da família, dos amigos e da comunidade, te batizamos".

O papa Francisco explicou que as pessoas batizadas com essas fórmulas errôneas deverão voltar a celebrar o seu batismo, seguindo desta vez o rito estabelecido por Roma.

O mesmo vale para os casados ou confessados pelo padre que foi batizado com a fórmula errada, especificaram fontes do Vaticano.

bur-kv/mb/gf/mvv

Escrito por:

AFP