Publicado 26 de Agosto de 2020 - 12h12

Por AFP

As autoridades birmanesas ampliaram nesta quarta-feira o confinamento no estado de Rakhine (oeste), que agora afeta um milhão de pessoas, para frear a propagação do novo coronavírus nesta região, cenário de tensões étnicas e religiosas.

Nas últimas 24 horas foram registrados 100 novos casos de coronavírus, em sua maioria nesta região. O país acumula até o momento 574 casos.

Depois de Sittwe, a capital do estado de Rakhine, o governo ordenou nesta quarta-feira a ampliação do confinamento para outros municípios.

"Os habitantes devem permanecer em suas casas e poucos veículos estão autorizados a circular", anunciaram as autoridades.

O objetivo é impedir uma propagação da epidemia, principalmente nos campos superpopulosos de rohingyas, onde vivem 130.000 pessoas desta minoria muçulmana perseguida.

Na semana passada, as autoridades visitaram o campo de Thae Chaung para enfatizar a necessidade de respeitar o distanciamento físico - algo impossível já que em média 10 famílias moram em apenas uma casa - e distribuir desinfetante para as mãos e máscaras.

O estado de Rakhine é cenário há muito tempo de conflitos étnicos e regionais.

Os rohingyas são controlados na região e têm acesso limitado aos serviços de saúde, educação e habitação.

Quase 750.000 membros desta minoria se refugiaram em Bangladesh em 2017, depois que fugiram da repressão militar que a ONU chamou de "genocídio".

smm-dhc/sde/cls/bc/mar/fp

Escrito por:

AFP