Publicado 25 de Agosto de 2020 - 23h52

Por AFP

Uma partidária do presidente americano Donald Trump que seria oradora nesta terça-feira (25) na Convenção Nacional Republicana foi retirada da programação de última hora depois de tuitar sobre uma conspiração judia para controlar o mundo, informou a imprensa americana.

Mary Ann Mendoza discursaria sobre seu filho Brandon, um oficial da polícia assassinado em 2014 por um motorista embriagado que estava ilegalmente nos Estados Unidos.

A participação de Mendoza, porém, foi cancelada após ela tuitar nesta terça-feira sobre crenças paranoicas e antissemitas de um movimento de teoria conspiratória QAnon.

"Faça-se um favor e leia este fio", tuitou Mendoza, membro da junta assessora da campanha de Trump, a seus 41.000 seguidores.

Em seguida, apagou a mensagem e pediu desculpas: "Eu compartilhei um fio longo sem ler antes cada uma das mensagens que continha. Peço desculpas por não prestar atenção ao tom de toda a mensagem".

"Não reflete de maneira nenhuma meus sentimentos ou minhas ideias", continuou.

Trump afirmou na semana passada não saber "muito" sobre os seguidores do movimento QAnon. "Entendo que agrado a eles, o que aprecio", disse o presidente em coletiva de imprensa.

mlm/ad/dga/am

Twitter

Escrito por:

AFP