Publicado 25 de Agosto de 2020 - 22h22

Por AFP

O governo argentino aprovou nesta terça-feira (25) o protocolo sanitário para a pandemia da COVID-19 apresentado pela Conmebol, o que possibilitará a disputa de jogos da Copa Libertadores e da Copa Sul-Americana no país.

Jogos dos dois torneios voltarão a ser disputados daqui a três semanas, em um contexto de fortes medidas sanitárias.

"Tivemos uma reunião com o chefe do Gabinete, o ministro da Saúde, o ministro do Transporte e as autoridades de Migrações, e avançamos em relação às aprovações dos protocolos, com algumas recomendações específicas que enviaremos à Conmebol", declarou o ministro dos Esportes argentino, Matías Lammens, em coletiva de imprensa.

Em relação ao protocolo enviado pela entidade que rege o futebol sul-americano, o ministro expressou que "o estudamos muito e acreditamos ser rigoroso, que não apresenta riscos nem à população, nem aos elencos argentinos, nem aos estrangeiros".

"Os estrangeiros estarão somente 72 horas [no país], com a ideia de que fiquem o menor tempo possível. Nem precisam fazer quarentena", continuou Lammens.

A notícia é um alívio para Boca Juniors, River Plate, Racing, Defensa y Justicia e Tigre, as cinco equipes argentinas que competem na Libertadores e que deverão voltar a jogar na competição a partir de 17 de setembro.

O dispositivo de segurança da Conmebol prevê que todo indivíduo que tiver contato com as delegações visitantes tenha dado negativo em testes de detecção da COVID-19, e propõe também a necessidade de quartos individuais para os jogadores, além de trâmites breves na alfândega para minimizar o contato.

A Conmebol apresentou seu protocolo sanitários há vários dias e o governo argentino é um dos últimos do continente a aprová-lo.

A Argentina é um dos países em que o futebol ainda não foi retomado, com o número de contaminações em alta nas últimas semanas.

O país de 44 milhões de habitantes registra 359.625 casos e 7.563 óbitos por coronavírus.

str/dm/cl/am

Escrito por:

AFP