Publicado 25 de Agosto de 2020 - 19h07

Por Estadão Conteúdo

Dez membros da Orquestra Jazz Sinfônica foram contaminados pelo novo coronavírus durante um ensaio realizado no início de agosto. A informação foi revelada por artistas no final de semana e confirmada pela Fundação Padre Anchieta, responsável pela gestão do grupo.

A orquestra retomou as atividades presenciais no dia 7. A Jazz Sinfônica foi dividida em três grupos menores. O primeiro a retornar ao palco do Teatro Franco Zampari era composto dos músicos de sopro e metais. Ao todo, vinte e duas pessoas estiveram presentes no ensaio: 17 músicos e cinco funcionários da área técnica.

No dia seguinte ao ensaio, um músico comunicou a orquestra ter tido contato com um familiar que havia sido diagnosticado com o coronavírus. Todos que estiverem com ele no ensaio foram então testados. Segundo o relato dos músicos, apenas dois dos dez contaminados apresentaram sintomas e todos passam bem.

Músicos ouvidos pelo Estadão, que pediram para não serem identificados, afirmam que havia dúvidas entre os artistas a respeito do retorno ao palco do Teatro Franco Zampari, considerado por eles pequeno e pouco ventilado.

A Fundação Padre Anchieta afirmou, em nota oficial, que cumpriu todos os protocolos de segurança "com base nas orientações de órgãos governamentais, incluindo a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e as recomendações da Organização Mundial da Saúde". "Tendo ocorrido a contaminação de alguns colaboradores, a direção determinou a suspensão imediata dos ensaios e colocou sua equipe médica à disposição de todos. Todos os colaboradores presentes no ensaio fizeram teste. Os positivados foram afastados e estão tendo acompanhamento constante do departamento médico da Fundação. Felizmente, os casos foram assintomáticos ou com sintomas leves. Todos os colaboradores estão recuperados", diz o texto.

Protocolos têm sido empregados por orquestras de todo o País ao retornar aos palcos, para concertos transmitidos pela internet. Entre as determinações estão a distância entre os músicos, o uso de máscaras, álcool gel e EPIs, a redução no tempo de ensaios ou mesmo a instalação de filtros adequados de ar-condicionado, entre muitas outras. Questionada, a Fundação Padre Anchieta não respondeu se pretende rever o protocolo aplicado para o retorno da atividade da Jazz Sinfônica.

Um músico da Osesp que participou do concerto apresentado na semana de 10 a 14 de agosto na Sala São Paulo também testou positivo no final de semana para a covid-19. Segundo a Fundação Osesp, ele foi afastado imediatamente e todos os músicos que estiveram ao seu lado no palco foram mapeados e testados. Todos tiveram resultado negativo. "As medidas tomadas são exatamente as previstas no protocolo e a programação segue como previsto", diz o diretor executivo Marcelo Lopes.

Escrito por:

Estadão Conteúdo