Publicado 25 de Agosto de 2020 - 18h53

Por AFP

Lionel Messi lançou uma bomba: depois de duas décadas defendendo as cores do Barcelona, o astro argentino disse ao clube que quer deixá-lo "unilateralmente" após várias temporadas de derrotas estrondosas na Europa.

A notícia vinha sendo especulada desde o doloroso 8 a 2 sofrido nas quartas de final da Liga dos Campeões contra o Bayern de Munique, o fundo do poço de uma temporada fatídica em que o argentino de 33 anos ficou decepcionado com o projeto esportivo do Barça.

E por meio de um "burofax" enviado por seus advogados, Messi confirmou sua vontade de "rescindir o contrato unilateralmente", disse um porta-voz do Barcelona à AFP.

Segundo esta fonte, o astro teria se valido de uma cláusula incluída em seu contrato pela qual poderia pedir para deixar o Barcelona livremente no final da temporada, mas ela "expirou em 10 de junho".

Portanto, "o clube considera o contrato em pleno vigor até 30 de junho de 2021", acrescentou.

Tanto para a imprensa esportiva espanhola quanto para o jornal argentino Olé que divulgou a notícia, isso pode significar o início de uma batalha judicial, já que a pandemia de coronavírus alterou o calendário da temporada, que terminou com dois meses de atraso.

Depois de tomarem conhecimento da notícia, cerca de 100 torcedores se reuniram nas proximidades do Camp Nou para protestar contra a diretoria aos gritos de "Fora Bartomeu!" e "Fica Messi!".

"Não acredito. Não consigo assimilar que ele está saindo. Quero acreditar que é um impulso contra a diretoria para que Bartomeu saia", disse Rubén Tejero, de 28 anos e com o número 10 de Messi nas costas.

Nesi Laros, uma estudante israelense de 30 anos, também não disfarçava seu espanto: "Estou sem palavras. Eu estava atualizando a página o tempo todo para ver se eles corrigiam, caso fosse falsa."

Depois de meses demonstrando publicamente a sua insatisfação com o rumo de um clube em queda livre e vivendo uma temporada catastrófica tanto no esporte quanto na parte burocrática, com inúmeras desavenças entre a equipe e a diretoria comandada por Josep Maria Bartomeu, Messi entrou em ação.

O estopim parece ter sido a goleada humilhante para o Bayern de Munique, mais uma sofrida derrota na Liga dos Campeões após as eliminações contra Liverpool, Roma e Juventus em anos anteriores.

O seis vezes vencedor da Bola de Ouro teria manifestado suas dúvidas em uma reunião na semana passada com o novo treinador Ronald Koeman, a quem ele teria garantido que olhava "mais para fora do que para dentro" do clube, segundo a imprensa esportiva espanhola.

O envio do burofax ocorre apenas um dia depois de Koeman, que foi contratado para renovar o elenco, informar ao atacante uruguaio Luis Suárez, amigo próximo de Messi, que não contaria com ele na próxima temporada.

As reações foram rápidas. "Respeito e admiração, Leo. Todo o meu apoio, amigo", tuitou o ex-capitão do Barça Carles Puyol, uma mensagem respondida com "emojis" de aplausos de Luis Suárez.

Escrito por:

AFP