Publicado 25 de Agosto de 2020 - 10h43

Por AFP

Pelo menos 11 pessoas morreram no desabamento de um prédio residencial de cinco andares na cidade de Mahad, no oeste da Índia. Entre os escombros, os socorristas continuam procurando nesta terça-feira (25) por até 60 pessoas desaparecidas.

À tarde, quase 18 horas após o desabamento do imóvel de 47 apartamentos, equipes de resgate e cães treinados retiraram 11 corpos e resgataram um menino de quatro anos com vida, disse Sachidanand Gawde, porta-voz da Força Nacional de Resposta a Desastres.

Três equipes de resgate trabalhavam em meio a uma massa de entulho e tijolos na cidade de Mahad, 10 km ao sul de Mumbai, onde ocorreu o acidente na noite de segunda-feira.

"Três pessoas da minha família estão presas sob os escombros, minha mãe, minha irmã e meu sobrinho", disse à AFP Gazala, um médico que não quis revelar seu sobrenome.

As autoridades temiam inicialmente que 200 pessoas estivessem soterradas, mas revisaram suas estimativas para 20 a 70, já que muitos moradores estavam fora de casa no momento do desastre.

"Ninguém sabe quantas pessoas estão realmente presas lá embaixo", disse um oficial da polícia de Mahad à AFP sob anonimato.

O primeiro-ministro, Narendra Modi, disse estar "entristecido".

O acidente ocorreu às 19h00 locais de segunda-feira, um momento em que alguns moradores haviam saído para fazer compras. Muitas famílias também não estavam em casa porque foram embora da cidade devido à pandemia de COVID-19, para se confinar em suas casas de origem.

Mustafa Shakefar, um habitante que estava em quarentena porque testou positivo ao coronavírus, disse que ele e sua família acharam que se tratava de um terremoto e saíram de casa rapidamente.

"Nós corremos e tudo afundou diante de nossos olhos", conta este homem de 39 anos ao jornal "Mumbai Mirror". Segundo ele, os moradores já haviam se queixado do estado do prédio.

Até o momento, as causas do acidente são desconhecidas, mas os desabamentos de prédios são frequentes na Índia durante a temporada de monções (de junho a setembro). As fortes chuvas danificam os cimentos dos prédios e os enfraquecem.

O prédio tinha 10 anos e foi construído sobre fundações "fracas", disse um ex-parlamentar do Mahad, Manik Motiram Jagtap, à TV9 Marathi. "Desabou como um castelo de cartas. É uma situação horrível", acrescentou.

A monção desempenha um papel crucial para a agricultura no sul da Ásia. Mas também causa inúmeras mortes e destruição, como inundações e desabamentos de edifícios.

Em 2020, a temporada de monção já matou 1.200, incluindo 800 só na Índia.

vm-amu/leg/lb/bds/mr/jc/mvv/aa

Escrito por:

AFP