Publicado 19 de Junho de 2020 - 17h00

Por Adagoberto F. Baptista

Maria Teresa Costa

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Apesar de excluir as igrejas do fechamento das atividades anunciado ontem prefeito Jonas Donizette (PSB), uma parte significativa de templos católicos não retomará as missas a partir de hoje, data prevista pelo arcebispo metropolitano d. João Inácio Muller, para a retomada das celebrações. As igrejas quem têm grande participação de idosos decidiram adiar a retomada, para evitar a disseminação do novo coronavírus nessa população mais vulnerável. Em Indaiatuba e em Valinhos todas as igrejas católicas adiaram a retomada das missas.

Em Campinas, a Catedral, as oito paróquias que integram da Forania São José, situadas da região do eixo da Avenida Amoreiras também adiaram o reinício das celebrações, da mesma forma que a paróquia Nossa Senhora das Dores, no Cambuí, entre outras.

Segundo o vigário-geral, José Eduardo Meschiatti, a avaliação das paróquias que têm grande presença de paroquianos idosos é que será mais prudente o adiamento, porque eles vão querer ir às missas. “Os padres já constaram um índice alto de contaminação em pessoas nas paróquias e famílias, que antes eram números, agora já são nomes” afirmou.

Aquelas que retomarão as missas a partir de hoje seguirão o protocolo sanitário definido em decreto do arcebispo. Elas ocorrerão em um período diário de quatro horas e o acesso dos fiéis será limitado, conforme a regra estabelecida por cada município e cada paróquia decidirá critérios para o controle do número de pessoas, de acordo com a capacidade (agendamento prévio, por telefone, redes sociais, etc.). Os participantes das celebrações deverão guardar distância mínima de dois metros uns dos outros.

Além da obrigatoriedade de uso de máscaras, os fiéis deverão higienizar as mãos, na entrada da igreja, com álcool em gel 70% e as solas dos sapatos com água sanitária antes de entrar no templo. Durante a comunhão, os fiéis permanecem nos seus lugares e o ministro levará a hóstia até eles. Quem for comungar, de acordo com o protocolo, deverá ficar em pé, retirar a máscara pelo elástico e receber a comunhão com a mão em forma de pinça, colocar a máscara e sentar.

O Pai Nosso seja rezado sem dar as mãos e sem o abraço da Paz. No caso de o sacerdote, presidente da celebração, ser mais idoso ou pertencer a algum grupo de risco, deve ser substituído, na distribuição da comunhão, pelo diácono ou ministro extraordinário.

Continuam suspensas peregrinações, romarias, procissões, adoração do Santíssimo em grupos, festas, concentrações religiosas, acampamentos e outras atividades similares em grandes grupos, passíveis de forte propagação da epidemia.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista