Publicado 21 de Junho de 2020 - 5h30

Música, muita música, e da melhor qualidade. É o que promete a quinta edição do Mostra Jazz Campinas, que começa amanhã e prossegue até o próximo domingo. Serão 39 atividades em oito dias, com shows em casas noturnas e locais públicos, apresentando as diversas vertentes da música instrumental. Realizada de maneira independente há cinco anos, a mostra tem por objetivo reunir e apresentar grupos e projetos voltados à música instrumental e ao jazz, levando ao público campineiro o retrato da fértil cena musical de Campinas. A abertura do evento será neste domingo, com dois shows no Teatro Municipal José de Castro Mendes. A partir das 18h, o palco será ocupado por Edu Guimarães Quinteto, seguido do Combo Araruama. Também no domingo, o espaço Goma Arte e Cultura, em Barão Geraldo, recebe o evento Riva Rock apresenta: 7 Vultos do Sopro Eterno, com performance de Pepa D’Elia Quinteto com Islan Santos e discotecagem de Riva Rock.

“Esta edição chega com novidades. Serão 39 atividades culturais relacionadas ao jazz (em 2018 foram 24), sendo 25 shows - 16 em espaços públicos sem cobrança de ingresso -, quatro workshop's de música também gratuitos, três discotecagem, duas exposições fotográficas, uma mesa de debate com o tema A Mulher na Música Instrumental; uma intervenção em dança e uma exibição de curta-metragens, em parceria com a Mostra Curta Audiovisual. Mas continuamos ainda longe do ideal. A Mostra continua sendo realizada de maneira independente, com equipe e músicos trabalhando voluntariamente”, informa Arthur Amaral, o DJ Digão, da Zumbido Cultural, produtora responsável pela organização e curadoria do evento. Segundo ele, a proposta é integrar a Mostra como atração fixa da agenda cultural de Campinas.

Para Digão, é difícil destacar as atrações da Mostra, considerando o alto nível técnico e artísticos dos músicos que se apresentam. “Mas podemos destacar algumas programações diferenciais em comparação com as edições anteriores, a começar pela abertura neste domingo no Castro Mendes com programa duplo; as apresentações públicas - terça (25) no Largo do Rosário (Centro), quinta (27) no espaço cultural Maloca (Vila União), sexta (28) na Praça Durval Pattaro (Barão Geraldo), sábado (29) na Praça da Juventude (DIC V) - e o grande encerramento no domingo (30) na Concha Acústica com duas big bands, um combo e workshop de "lindy hop" (dança)”, adianta Digão.

“Cada vez mais estamos indo para regiões onde eventos como esses não costumam acontecer, pois é fundamental a difusão de arte e cultura o máximo possível, ainda mais em tempos como esses, em que esse setor tem sido cada vez mais desvalorizado.”

Outro destaque nesta edição são as atividades formativas concentradas no Museu da Imagem e do Som (MIS) de Campinas, nos dias 24 e 26. “Serão quatro workshop's de música; duas exposições fotográficas sobre música, dos fotógrafos Chun (de edições anteriores da Mostra) e Rodrigo Zanotto (imagens de músicos em shows pelo país) e uma mesa de debate. E em cada dia no MIS teremos uma apresentação musical às 18h. No dia 26 junto com a apresentação musical teremos uma roda de improvisação em dança com o Coletivo Elementais com artistas da dança de Campinas”, aponta, lembrando que toda a programação no MIS é gratuita.

A produção da 5ª Mostra Jazz Campinas é realizada pela produtora artística campineira Zumbido Cultural, que seleciona os grupos de música instrumental, em parceria com curadores de outros projetos. As apresentações ocorrem em diversas casas de show/bares da cidade (com ingressos de R$10,00 a R$20,00), e em espaços públicos. A programação completa pode ser conferida no www.facebook.com/mostrajazzcampinas