Publicado 18 de Junho de 2020 - 5h30

O calçadão da Rua 13 de Maio – principal centro de compras de rua de Campinas – ganhou ontem marcações de solo para orientar o fluxo de pessoas, em uma tentativa da Prefeitura de reduzir os danos provocados pela aglomeração gerada pela abertura do comércio. Foram desenhadas setas no chão e figuras que indicam a direção onde as pessoas devem caminhar. Também foram criadas duas vias de acesso às lojas para separar a fila de quem precisa entrar no estabelecimento para pagar contas das que vão fazer compras.As medidas, anunciadas pelo prefeito Jonas Donizette, na segunda-feira, foram definidas após reunião com comerciantes e visam evitar as aglomerações ocorridas na semana passada. Nos primeiros dias de reabertura do comércio, o fluxo de pessoas a 13 de Maio foi grande. Desde a semana passada, o comércio em Campinas funciona das 12h às 16h. No sábado – quando abre das 9h às 12h – também foi grande o movimento de consumidores.Movimento

Em comparação a abril, o volume de vendas cresceu 5,51%. No acumulado do ano (janeiro a maio), no entanto, as perdas no faturamento do setor foram de R$ 2,7 bilhões, cerca de 21,2% a menos que o registrado no mesmo período de 2019. Já as vendas do comércio na RMC, em maio, ficaram 38,9% abaixo do registrado no mesmo período de 2019. No entanto, se comparadas a abril de 2020, houve elevação de 5,51%. Considerado apenas o período referente ao Dia das Mães, a influência negativa da pandemia fez que as vendas ficassem 47,5% menores do que as verificadas em 2019.