Publicado 18 de Junho de 2020 - 12h22

Por Da Agência Anhanguera

Léo Steinbruch e Georgette Fadel (foto): posições políticas divergentes não impedem que os atores se tornem parceiros nesta jornada da utopia

Divulgação

Léo Steinbruch e Georgette Fadel (foto): posições políticas divergentes não impedem que os atores se tornem parceiros nesta jornada da utopia

O premiado documentário Partida, de Caco Ciocler, estreia nesta quinta-feira, 18, nas plataformas de streaming. O filme estará disponível inicialmente no Now, Vivo Play, Oi Play, Petra Belas Artes à la Carte, Filme Filme e Looke. Posteriormente, entrará em cartaz também no Itunes e no GooglePlay. O longa estava previsto para estrear nos cinemas brasileiros no primeiro semestre de 2020, mas devido à pandemia de Covid-19, os produtores Beto Amaral e Caco Ciocler e os coprodutores Paulo Vidiz, Cisma Produções, Zumbi Post e a distribuidora Pandora Filmes decidiram lançar o filme direto em VOD (vídeo on demand), em parceria com o Canal Brasil. Hoje ainda, às 14h, o diretor e ator Caco Ciocler participa do Sem Censura Especial Coronavírus, na TV Brasil, para falar do filme.

Segundo documentário de Caco Ciocler, Partida estreou na 43ª Mostra Internacional de Cinema, em São Paulo, entrando para a lista dos longas mais bem avaliados pelo público da edição. O filme foi exibido ainda no 21º Festival do Rio, como parte da Première Brasil - Mostra Fronteiras; e conquistou quatro prêmios no 14º Fest Aruanda, em João Pessoa (PB): Prêmio Especial do Júri de Melhor Filme, Melhor Som para Vasco Pimentel, Melhor Atriz para Georgette Fadel e Melhor Montagem para Tiago Marinho. A produção também foi selecionada para o 23º Festival de Málaga.

No longa, diante do resultado da última eleição no Brasil, a atriz Georgette Fadel (O Banquete, As Domésticas: O Filme) promete se candidatar à Presidência da República em 2022 por um partido formado só por mulheres, o Partida. Ela embarca em uma viagem de ônibus ao Uruguai na tentativa de passar a virada do ano ao lado do ex-presidente Pepe Mujica, sua maior inspiração política viva. Ainda nos primeiros minutos, esbarra em Léo (Léo Steinbruch), empresário com posições políticas bem diferentes das suas. Mas, o antagonista inesperado acaba por se tornar seu maior parceiro de jornada. Sob a paisagem caminhante, as irreconciliáveis brigas entre a "esquerda" e a "direita", que dividiam amigos, famílias e o país, serão agora revisitadas num performático jogo entre ficção e documentário. Na companhia de outros viajantes e de um grande amor, a esperança do encontro guiará o sentido utópico de Partida.

“Era final de 2018. Um novo presidente acabara de se eleger. Momento de expectativa e esperança para uns, de medo e revolta para outros. O que nos unia, era o abismo diante do qual o país havia rachado, partido. O filme nasce neste momento. Eu tinha vontade de testemunhar algum encontro possível. Seria possível o encontro quando se esgotassem as brigas e os discursos?", diz o diretor, que também atua no longa. “Então era preciso produzir um microcosmo, sem escapatória, promover um embate e ver o que dali surgiria. Sempre tive uma admiração imagética pelo Mujica, e um fascínio pela lenda de que morava isolado em um sítio escondido e recebia cordialmente com um chimarrão as pessoas que o encontravam. Quando a Georgette soltou, numa roda de ensaio, que queria se candidatar, tudo fez sentido. Pronto, tínhamos um objetivo para distrair o percurso. Saímos sem saber se o tal encontro com Mujica seria possível, se mesmo um filme seria possível, mas achamos melhor uma utopia, a seguir imóveis.” No elenco, além de Georgette, Léo e Caco estão Paula Cesari, Vasco Pimentel, Sarah Lessa, Jefferson dos Reis, Julia Zakia, Beto Amaral, Manoela Rabinovitch, Ivan Drukier Waintrob e Luiza Zakia.

No audiovisual Caco Ciocler estreou como diretor com Trópico de Câncer, eleito melhor filme do Festival do Minuto. Seu primeiro longa, Esse viver ninguém me tira, participou das mostras competitivas do Festival do Rio e do Festival de Gramado, além de ganhar o prêmio do júri de Melhor Documentário no Festival de Cinema Brasileiro de Los Angeles. Em 2019, Caco dirigiu seu segundo longa documentário Partida. Em maio de 2020, estreou a segunda temporada de Unidade Básica, na Universal TV, série que protagoniza e na qual assina dois episódios. Durante a pandemia de Covid-19, montou a Lista Fortes Brasil, dedicada a empresas privadas que queiram doar 1% de seu lucro líquido para investimentos em ações de combate à pandemia. Também pode ser visto na reprise da novela Novo Mundo, da Globo, onde interpreta um médico abolicionista.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera