Publicado 18 de Junho de 2020 - 21h07

Por Gustavo Magnusson/AAN

Ana Claudini Ferraro da Silva é gerente de mídia da E3 Comunicação desde 2018

Arquivo pessoal

Ana Claudini Ferraro da Silva é gerente de mídia da E3 Comunicação desde 2018

No próximo domingo, 21 de junho, é comemorado o Dia do Mídia, em homenagem a este profissional que exerce papel estratégico dentro do mercado publicitário, planejando e veiculando as campanhas criadas pelas agências de propaganda para seus clientes. A data é celebrada desde 1977, quando foi instituída pela Central de Outdoor. Por conta da ocasião comemorativa, o Correio Popular inicia hoje, quinta-feira, uma série de reportagens para discutir desde a importância e as responsabilidades da profissão até as particularidades e transformações de seu exercício, sem deixar de verificar os desafios enfrentados pela classe em meio à pandemia do novo coronavírus.

Com atuação na área desde 1998, Ana Claudini Ferraro da Silva atualmente é gerente de mídia da E3 Comunicação Integrada, agência de publicidade sediada em Campinas, mas que também conta com filiais no Rio de Janeiro e em Brasília. Segundo Claudini, que exerce a função na empresa desde janeiro de 2018, a atividade do mídia envolve muita responsabilidade. "O mídia é responsável por toda a distribuição de verba do investimento publicitário do cliente, então a gente tem que analisar as melhores oportunidades diante do budget e do briefing desse cliente, distribuindo de uma forma otimizada e que dê o resultado esperado. Logicamente, a parte da criação é muito importante porque hoje em dia o visual se destaca muito, mas temos que analisar os meios de comunicação para o público destinado da campanha", explica.

De acordo com Claudini, o distanciamento social decorrente da pandemia da Covid-19 trouxe mudanças significativas na rotina de produção da E3. "A agência toda está há quase 3 meses em home office. Foi um momento de adaptação pelo qual nós nunca tínhamos passado. No meu caso, tive que comprar impressora e outros instrumentos para poder trabalhar em casa. A gente estava acostumado a ter uma equipe para trocar ideias e um tempo específico de trabalho. Dentro de casa, tivemos que nos adaptar a essa questão do tempo e também a outras necessidades", revela. "No caso da E3, que atende muitas contas públicas, foi uma demanda muito grande no começo do isolamento, mas acabou dando tudo certo. Estamos todos linkados em uma rede virtual e operando dessa forma. Acredito que as pessoas que nunca trabalharam em esquema home office já se adequaram ou ainda vão se adequar, então não é mais um bicho de sete cabeças, nem mesmo para diretores de empresas e agências, que tinham um certo receio. Na E3, a equipe se juntou e as coisas aconteceram. Acredito que quando a gente tem uma responsabilidade, fazemos jus ao nosso trabalho. Daqui para frente, será mais fácil trabalhar em home office, mas como eu sou uma mídia antiga, continuo acreditando muito na relação pessoal, na convivência e nas reuniões físicas, que também são importantes", afirma Claudini, que acumula mais de 20 anos na profissão.

Com larga experiência em planejamento, execução e controle de campanhas de contas da área pública, a E3 Comunicação Integrada assumiu no último mês de abril a publicidade da Prefeitura de Campinas. "Eu trabalho na empresa de Campinas e a Luciene Araújo (assistente administrativa) me ajuda muito nos processos de faturamento de mídia. No mesmo instante em que conquistamos a conta da Prefeitura de Campinas, também assumimos a conta da Prefeitura do Rio de Janeiro, então, agora nós temos outra mídia, a Valéria Pereira", enfatiza Claudini.

A E3 também se destaca neste tipo de atuação com outros municípios brasileiros. Atualmente, a agência atende as contas públicas de Niterói, Barueri e Suzano. Ao longo dos últimos anos, a agência desenvolveu cases de sucesso para prefeituras de cidades do interior paulista como São Carlos, Rio Claro, Hortolândia, Sumaré e Atibaia. "Faz pouco tempo que estou na agência, mas os sócios-proprietários da empresa, o Rubens Ribeiro e o Fernando Gasparini, sempre estiveram envolvidos nesse segmento de contas públicas e se especializaram nisso. Hoje, além das contas públicas, a gente também trabalha com a OAB Nacional. Além disso, existe a possibilidade de assumirmos outras contas privadas, mas o nosso foco é realmente maior em contas públicas mesmo", pontua Claudini.

Escrito por:

Gustavo Magnusson/AAN