Publicado 20 de Junho de 2020 - 18h32

Por AFP

Centenas de pessoas se reuniram no centro de Atenas neste sábado (20) para comemorar o Dia Mundial dos Refugiados, em meio a críticas às políticas do governo grego para migrantes.

Cerca de 1.100 manifestantes, de acordo com a polícia grega (cerca de 2.000 de acordo com um fotógrafo da AFP), realizaram uma passeata no centro da capital grega, sob o sol escaldante, com cartazes dizendo "Não aos refugiados sem-teto, perseguidos e presos" e gritando palavras de ordem contra as expulsões de refugiados de residências temporárias.

A maioria dos participantes era membros gregos de grupos antirracistas, mas também havia alguns refugiados dos campos de imigrantes perto de Atenas.

Milhares de pessoas estão desabrigadas na Grécia devido ao plano de realocação de refugiados, já que as autoridades gregas planejam mover 11.200 pessoas para dar espaço a outros requerentes de asilo que vivem atualmente em condições terríveis nos campos das ilhas.

Os refugiados podem permanecer em suas acomodações por até seis meses após receberem o status de proteção.

O novo governo conservador do primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis reduziu esse período para apenas um mês.

A Agência das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), por outro lado, expressou preocupação ao insistir que os refugiados não tenham acesso efetivo a benefícios e apoio sociais.

A presença contínua de mais de 32.000 requerentes de asilo nas ilhas - quase cinco vezes sua capacidade de recepção - causou disputas com as comunidades locais que pediam sua expulsão imediata.

Segundo a Acnur, cerca de 3.000 requerentes de asilo chegaram à Grécia por terra e por mar desde o início de março, embora esse número seja muito menor do que nos meses anteriores.

str-kan/bc/me/lca

Escrito por:

AFP