Publicado 20 de Junho de 2020 - 15h22

Por AFP

A Itália acordou emocionada neste sábado (20), um dia após o grave acidente sofrido por Alex Zanardi, o ex-piloto de Fórmula 1 que se tornou um dos ícones do esporte paralímpico depois de ter as duas pernas amputadas em 2001.

Muito respeitado, Zanardi foi destaque da primeira página dos três diários esportivos mais lidos da Itália, num momento em que o Campeonato Italiano de futebol volta a ser disputado após mais de três meses de interrupção.

"O drama de Alex", escreveu La Gazzetta dello Sport na capa. "Não Alex, não!", intitulou por sua vez o Corriere dello Sport. O Tuttosport optou pela manchete "Alex, Itália!".

Gravemente ferido na cabeça, Zanardi sofreu na sexta-feira uma intervenção neurocirúrgica e uma operação maxilo-facial que durou três horas.

Zanardi sofreu um acidente quando competia com sua bicicleta pedalada com os braços em uma das etapas da corrida de revezamento "Obiettivo Tricolore", disputada na Toscana.

"Alex perdeu o controle de sua bicicleta, deu duas voltas e colidiu com um caminhão. O acidente foi terrível", disse Mario Valentini, técnico da seleção italiana de ciclismo paralímpico, ao jornal Corriere Della Sera.

Neste sábado, o doutor Sabino Scolletta, responsável pela emergência do hospital Santa Maria alle Scotte de Siena, onde o ex-piloto se encontra em tratamento intensivo, explicou que o estado de Zanardi é "estável".

"O quadro clínico é bom no conjunto, embora siga grave no plano neurológico", declarou o médico, citando também "lesões oculares" e explicando que Zanardi seguirá em coma induzido "pelo menos pelas próximas 48 horas".

Pela manhã, o hospital informou que Zanardi está "intubado e respirando por aparelhos".

Giuseppe Oliveri, neurocirurgião que operou Zanardi, também citou que seu paciente está em "estado grave".

"Ele chegou com um importante traumatismo crânio-facial. Concretamente, todos os ossos da cara fraturados", explicou.

"Por enquanto, não falamos de seu estado neurológico. É algo que veremos mais tarde, quando acordar, se acordar", completou.

"A situação do paciente é grave, isso significa que ele pode morrer. Neste tipo de caso, as melhoras são lentas, enquanto que a deterioração pode ser brutal", revelou o médico.

Muitos atletas, artistas e políticos enviaram mensagens de apoio a Zanardi, que teve as duas pernas amputadas em 2001, após um grave acidente de automobilismo no circuito alemão de Lausitzring.

Escrito por:

AFP