Publicado 20 de Junho de 2020 - 10h42

Por AFP

O coronavírus se propaga de maneira implacável pela América Latina, com Brasil e México à frente, com novos recordes diários de contágios, enquanto o mundo observa com preocupação os novos focos que surgem em plena flexibilização do confinamento.

A Europa, que avança no retorno a uma certa normalidade, superou a barreira de 2,5 milhões de contágios, mais da metade deles na Rússia, Reino Unido, Espanha Itália e França, com 192.158 mortes, de acordo com um balanço atualizado neste sábado pela AFP com base em fontes oficiais.

A Europa continua sendo o continente mais afetado pela pandemia. A América Latina, no entanto, é a região onde a doença avança de modo mais rápido atualmente.

Com o triste recorde de mais de 54.000 infectados em 24 horas, o Brasil superou na sexta-feira a marca de um milhão de casos diagnosticados, uma barreira que só havia sido superada pelos Estados Unidos.

O país, o segundo do mundo mais afetado pela epidemia, registra quase 49.000 vítimas fatais.

O México também informou um número vertiginoso de contágios: mais de 5.000 novos casos confirmados nas últimas 24 horas, elevando o total a mais de 170.000 infectados. O país registra mais de 20.000 mortes.

Na Cidade do México, que programava a reabertura de mercados, restaurantes e outros estabelecimentos para a próxima segunda-feira, as autoridades prorrogaram o fechamento por mais uma semana.

O Chile superou 4.000 mortes e Santiago é a quarta cidade com mais casos confirmados no mundo.

Estados Unidos, país mais afetado pela pandemia com mais de 119.000 mortes, registraram 705 vítimas fatais nas últimas 24 horas, o nono dia consecutivo com menos de 1.000 óbitos diários.

Apesar da queda dos números diários na comparação com o pico de abril, mais de 20 estados americanos registraram aumento de casos nos últimos dias. O vírus continua provocando um impacto no sul e oeste do país.

O temor do retorno da doença também envolve os protestos antirracistas que sacudiram o país durante semanas e o retorno dos comícios de campanha do presidente de Donald Trump, com um grande comício previsto para este sábado em Oklahoma.

Os países europeus prosseguem com as fases de flexibilização do confinamento, entre os temores de novos focos da doença.

Os franceses retornarão aos cinemas e à prática de esportes em equipe a partir de segunda-feira. Mas os estádios só devem ser reabertos em 11 de julho.

Também reabrirão as portas os centros de férias, cassinos e salas de jogos, com "respeito às regras sanitárias rigorosas", afirmou o governo.

Escrito por:

AFP