Publicado 19 de Junho de 2020 - 18h22

Por AFP

O governista Partido Democrático Revolucionário (PRD), do presidente do Panamá, Laurentino Cortizo, foi multado em 50.000 dólares por uma reunião de seus deputados em um restaurante, o que gerou indignação em um país abalado pela pandemia do novo coronavírus.

A multa foi imposta por "infringir as normas" decretadas pelo governo para tentar conter a expansão do vírus, informou o Ministério da Saúde.

O restaurante onde ocorreu a reunião também foi multado em 50.000 dólares "por infringir as mesmas normas sanitárias", acrescentou o ministério em um comunicado.

Na quinta-feira, cerca de 20 deputados do PRD (social-democrata) reuniram-se em um restaurante da Cidade do Panamá para discutir a eleição do próximo órgão diretor da Assembleia Nacional (Parlamento).

A reunião, na qual esteve presente a ministra do Trabalho, Doris Zapata, ocorreu apesar da quarentena que vigora na capital panamenha, onde os restaurantes devem permanecer fechados ao público.

Além disso, homens e mulheres só podem sair por duas horas diárias em dias diferentes, o que foi descumprido na reunião.

"Se vão trancar o povo em casa passando fome, quebrando empresas e destruindo empregos, pelo menos deem o exemplo", criticou o presidente do partido de oposição Mudança Democrática, Rómulo Roux.

"Compreendemos a reação gerada por tal acontecimento (...), razão pela qual assumimos a responsabilidade e pedimos desculpas", disse o secretário-geral do PRD, Pedro Miguel González.

Duzentos manifestantes cercaram o restaurante gritando palavras de ordem contra os legisladores.

O Panamá é o país mais afetado da América Central pela pandemia, com 475 mortos e mais de 23.000 contágios em um país com quatro milhões de habitantes.

jjr/mas/dg/mvv

Escrito por:

AFP