Publicado 19 de Junho de 2020 - 11h02

Por AFP

A ONU alertou nesta sexta-feira que seus voos humanitários correm o risco de não decolar em julho devido à falta de fundos, o que comprometeria parte de suas operações de socorro.

O Programa Mundial de Alimentos (PMA), que supervisiona os voos, disse que recebeu apenas US$ 178 milhões de doadores dos US$ 965 milhões necessários em 2020 para essas operações.

"A menos que os doadores forneçam fundos substanciais antes do final da primeira semana de julho, o PAM não terá escolha a não ser deixar a maior parte de sua frota humanitária em terra", disse a porta-voz da organização, Elisabeth Byrs.

Com a pandemia de coronavírus, a frota humanitária opera em uma escala sem precedentes. "É crucial que não pare no momento em que é mais necessária", disse a porta-voz.

Os hospitais nos países em desenvolvimento parariam de receber suprimentos médicos tão necessários, alertou.

O PAM deve entregar 78.000 m3 de suprimentos médicos a cerca de trinta organizações humanitárias nas próximas seis semanas, mas os fundos atuais permitem apenas que 56.000 sejam entregues.

Embora o tráfego aéreo comercial e de carga global, ao qual o PMA às vezes recorre, esteja voltando lentamente, não seria suficiente, disse Byrs, pois as empresas não chegam a muitos lugares onde a ajuda deve ser entregue.

rjm/nl/mc/sba/af/mis/mr

Escrito por:

AFP