Publicado 19 de Junho de 2020 - 6h43

Por AFP

Um adolescente de 12 anos cuja música de protesto contra a morte de afro-americanos por policiais nos Estados Unidos se tornou um fenômeno assinou contrato com a Warner Records.

A canção do jovem Keedron Bryant, "I Just Wanna Live", sobre os temores de crescer como um homem negro nos Estados Unidos, será lançada nesta sexta-feira, dia em que os americanos recordam o fim da escravidão nos Estados Unidos, informou em sua conta no Instagram.

Bryant publicou pela primeira vez a canção gospel a capela no Instagram em 26 de maio, um dia depois da morte de George Floyd por um policial branco na cidade de Minneapolis.

A morte de Floyd - mais uma em uma longa lista de negros mortos pelas forças de segurança - provocou grandes protestos contra a brutalidade policial e um debate nacional sobre o racismo nos Estados Unidos, tanto no passado como na atualidade.

"Todo dia eu sou caçado como presa. Meu povo não quer problemas", canta Bryant.

O post original da canção recebeu mais de três milhões de curtidas e foi elogiado por várias personalidades, do ex-presidente Barack Obama até a cantora Katy Perry.

A gravadora anunciou que doará o lucro com a canção à Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor (NAACP).

bur-st/tom/mls/fp

Escrito por:

AFP